restaurantes

Kojin: a nova dark kitchen de Lisboa tem os melhores pratos da street food asiática

É uma cozinha moderna aquilo que Gonçalo Bouceiro e Ana Alves prepararam todos os dias no espaço da WEAT Gastronomic Hubs.
Só está disponível para take-away e delivery.

Ainda antes de abrirem uma dark kitchen em Lisboa, Gonçalo Bouceiro, 23 anos, e Ana Alves, 27, começaram a fazer jantares privados na cidade. “As pessoas adoraram os pratos, a exclusividade, o serviço e nós começámos a pensar no próximo passo”, explica Ana Alves à NiT. O conceito sempre foi de comida de street food asiática com um toque moderno, algo que fazem agora todos nos dias no Kojin, onde cozinham a partir do WEAT Gastronomic Hubs.

É junto às Docas que fica este projeto que agrega vários conceitos de dark kitchen, onde só é possível fazer take-away e delivery. O Kojin é um dos mais recentes a fazer parte das opções. O mundo da cozinha não é novo para Gonçalo Bouceiro e Ana Alves, que tiveram de voltar a Portugal devido à pandemia

Gonçalo estudou cozinha e pastelaria em Lisboa, depois foi para Londres, onde esteve num restaurante de cozinha asiática. Já Ana também esteve ligada à restauração como hostess, gestora de reservas e de receção, isto em Lisboa, no Dubai e Londres.

“Com a pandemia, infelizmente, tivemos de regressar a Portugal. No início foi aquela fase mais complicada, porque foi deixar tudo para trás. Mas rapidamente pensámos em fazer jantares privados e foi aí que começou tudo.”

Gonçalo descobriu o conceito do WEAT Gastronomic Hubs e era tudo o que precisavam para arrancar. “Tudo começou a desenvolver-se. Era um sonho para nós podermos chegar a mais pessoas e nada como uma dark kitchen.”

Desde 12 de março que estão a servir as várias opções no Kojin. A escolha da comida asiática era óbvia. Gonçalo já conhecia por experiência e ambos são doidos por este tipo de gastronomia. Ainda assim Ana aponta mais uma razão. “Fazemos o melhor bao-bun de rabo-de-boi de Portugal.”

Os pãezinhos asiáticos cozidos ao vapor são uma das especialidades, mas há muito mais para conhecer. “Foram precisos vários testes, várias horas a pensar nas melhores opções. Queríamos que as pessoas experimentassem e dissessem que estes eram os melhores pratos que já provaram. E isso já aconteceu, o que nos deixa de coração cheio.”

Chow mein com frango.

Num só espaço juntam várias opções da cozinha asiática. “É um conceito de street food asiático com uma boa relação de qualidade/preço. Queremos que as pessoas não estejam limitadas. Se quero sushi tenho de ir a um restaurante japonês, se quero egg fried rice tenho de ir a um restaurante chinês, e por aí adiante. Nós reunimos tudo num só.”

Entre as opções mais procuradas nestes poucos dias de Kojin estão o Ox-Tail Bao-Bun, um croquete rabo-de-boi com o bao-bun caseiro, as gyosas de vegetais e frango e o Korean BBQ Chicken, com um arroz de jasmin.

Há ainda mini pão de tinta de choco, hambúrguer de feijão, beterraba e chips de batata doce; o chow mein com frango, pimento verde e noodle; a tempura de camarão com pepino, maionese de wasabi, ou os rolls de cenoura, abacate e maionese de yuzo.

O bao caseiro é ainda usado numa versão de sobremesa. É uma espécie de fartura com canela, açúcar e recheio de Nutella.

Os pedidos só podem ser feitos para take-away, por telefone 916 202 661, ou delivery. Têm parcerias com a Uber Eats e Bolt Food. Já aos fins de semana fazem um delivery próprio com uma taxa de entrega de  2€. No site também tem acesso a todo o menu.

Não pretendem abrir um espaço próprio, mas há outros objetivos para cumprir. “ Temos muitos, mas primeiro chegar a mais pessoas e manter sempre a qualidade. Isso faz a diferença.”

Esta é a versão de sobremesa do bao.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT