Restaurantes

Koppu chegou ao Chiado com o ramen e o saquê das tabernas japonesas

É o terceiro espaço da marca na capital. Também serve petiscos asiáticos, como gyozas, tatakis, baos e espetadas yakitori.
Abriu a 30 de janeiro no Chiado.

Lisboa tem mais um restaurante dedicado à gastronomia do Japão. Calma, não é mais um espaço para comer sushi, sashimi, nigiris ou temakis. O Koppu Ramen Izakaya chegou à capital em 2016 — ao Príncipe Real, para sermos mais específicos — e agora desceu até ao Chiado para abrir um segundo restaurante a 30 de janeiro.

O menu só tem pratos quentes e petiscos japoneses, como o ramen, tatakis, baos, espetadas yakitori e gyozas. E, sim, foi o primeiro conceito especializado em ramen da capital. “Não havia nenhum espaço dedicado exclusivamente a este prato. Havia apenas alguns que faziam ramen um dia por semana, ou algo do género”, conta à NiT Susana Borges Diogo.

A arquiteta de 47 anos apresenta-se como uma apaixonada pela gastronomia japonesa. Criou o primeiro restaurante após ter sido desafiada por um chef amigo a lança um projeto inovador. Cinco anos depois, estava na altura da expansão.

“Decidimos abrir um novo espaço pela constante procura dos nossos clientes. Todos os dias tínhamos de rejeitar reservas. Isto porque o restaurante da Rua do Salitre é pequeno e o do Príncipe Real, infelizmente, teve o término do seu contrato no final da pandemia, sem possibilidade de renovação por parte do senhorio. Deixámos de poder receber todos os clientes que nos procuravam”, explica.

Susana — conta — foi criada numa cozinha. “A minha mãe era pasteleira e sempre adorei cozinhar. O fascínio pela gastronomia aliado ao da cultura japonesa fizeram o resto.” Desde a abertura do primeiro projeto, confessa que a sua vida tem sido uma aventura.

“Há sete anos desafiámos Lisboa e fomos muito criticados — sobretudo devido a um certo desconhecimento. Entretanto, investimos na quantidade e na qualidade, seguindo sempre a linha tradicional japonesa. Sim, sabemos que o ramen teve origem na China, mas a verdade é que foi adotado pelos japoneses com o objetivo, como tudo na sua cultura, de o tornar perfeito. Hoje, com uma maior oferta, os clientes já conhecem o prato, mas tornaram-se mais exigentes. Felizmente, os nossos têm-nos acompanhado desde o início”, acrescenta.

Pelo caminho, a chef foi também aprendendo mais sobre a culinária japonesa. Primeiro em Londres, com chefs vindos do Japão, depois em viagens pelo Japão. “Hoje já temos muitos chefes de cozinha japonesas que vêm a Portugal partilhar os seus conhecimentos. E fazemos várias formações por ano, para desenvolver um espírito crítico em relação ao que já cozinhamos e para podermos melhorar.”

Este ano quiseram criar um espaço que fosse uma continuação do que já tinham no Salitre. “Procurávamos um local no centro de Lisboa, para dar suporte ao projeto Koppu Ramen + Izakaia.” As izakaias, como nos explica, são as tabernas onde os japoneses gostam de ir petiscar e beber cerveja ou saquê após um dia de trabalho. “Para o novo restaurante queríamos ampliar este conceito, colocar ainda uma barra japonesa e mais salas privadas, para trazer mais pormenores da cultura asiática.”

Na Rua de São Nicolau, o ramen continua a ser o protagonista do menu. Entre as várias propostas, Susana Diogo destaca os bestsellers: o Ebi Kare (13,50€) com massa udon, molho de caril japonês, camarão, rebentos de feijão, espinafres, cogumelo preto, ovo, sementes de sésamo e alga nori; e o Tan Tan Men (15,95€), com pasta de sésamo, carne de porco picada e salteada, barriga de porco, cogumelos, gengibre e óleo de sésamo; ou o vegetariano, com massa de trigo, alho-francês, tofu, ovo, malagueta, sementes de sésamo e alga nori. 

Como forma de complementar a ementa, a arquiteta implementou um conceito que tem conquistado os clientes. “Fazemos um ramen mensal que podem provar durante um mês. Os comentários têm sido muito positivos e a curiosidade faz com que muitas pessoas provem as novidades.”

A principal diferença do novo Koppu é o espaço — tem 176 metros quadrados e 50 lugares. “A cozinha é cinco vezes maior que a do primeiro restaurante e o nosso objetivo é começar a produzir a própria massa do ramen em breve”, revela.

“É mais amplo que o anterior e era exatamente isso que pretendíamos. Queríamos ter salas privadas e uma barra japonesa.” A decoração, da autoria do atelier 4+ arquitectos, “dá continuidade à linha minimalista e evoca o ambiente das casas japonesas”.

A localização, prevê Susana, irá apresentar o conceito a outro tipo de clientes. “No Chiado podemos atrair mais turistas e pessoas que procuram a zona para jantar, enquanto o do Salitre é muito familiar.”

Sobre o nome do conceito, Koppu, Susana explica que se trata de uma palavra que “os portugueses deixaram no Japão”, que significa copo (como é fácil de deduzir). E, falando de bebidas, o espaço acolhe um bar de saquê e também serve cocktails de autor, como o Wasabi Moscow Mule (10,50€) ou o Kurmentain Whisky sour (11€). 

Carregue na galeria para conhecer o novo restaurante de ramen no Chiado.

Áudio deste artigo

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. de São Nicolau 114
    1100-548 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça a Sábado das 12h00 às 23h30
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Japonesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT