restaurantes

Louis Anjos: “Conseguir esta estrela Michelin foi histórico para Portugal”

O Al Sud, em Lagos, apenas está aberto há seis meses. Tempo suficiente para o chef conquistar os inspetores do Guia Michellin.
Louis Anjos tem 39 anos e é o atual chef do Al Sud.

Ganhar estrelas Michelin não é algo novo para Louis Anjos. O chef de 39 anos esteve no Bon Bon, no Carvoeiro, antes de sair para inaugurar o Al Sud, em Lagos, um dos recentes restaurantes nacionais que vai entrar na edição 2022 do prestigiado Guia gastronómico — o anúncio foi feito a 14 de dezembro. Desta vez a distinção foi diferente: por ser a primeira num espaço novo e não uma renovação. “Conseguir esta estrela Michelin foi algo histórico para Portugal”, explica o chef à NiT.

Cedo se percebeu que o Al Sud seria um forte candidato a estrelas em Portugal: um chef vindo de um outro restaurante que já constava do guia, o Bon Bon; um menu de fine dining; e todo o cuidado na decoração e serviço. O que o Louis Anjos não pensava é que chegasse tão cedo. “Foi um projeto que começámos há pouco tempo, apenas há seis meses [abriu em junho deste ano]. É um orgulho imenso e uma responsabilidade. Agora é lutar para manter e crescer.”

Receberam visitas de inspetores ao longo dos últimos meses e quando chegou o convite para a gala, que se realizou na noite de 14 de dezembro no Palácio das Artes Rainha Sofia, em Valência, Espanha, intuiu que a distinção poderia vir já este ano. Ainda assim, não se deixou deslumbrar e só acreditou quando foi chamado para  subir ao palco.

“Temos sempre o sonho, mas poder estar na gala, assistir a toda a emissão, sentir que o trabalho é reconhecido e receber a jaleca, é bastante emotivo.” Esta será mais uma data que não irá esquecer. “É muito marcante. Outra que guardo na memória é o 23 de novembro quando venci o concurso Chefe Cozinheiro do Ano em 2012.”

É um trabalho que descreve como coletivo e não individual. Acredita que a conquista da estrela se deve também à sua equipa. “O trabalho de todos é fundamental para conseguirmos surpreender o cliente a cada refeição. Conseguimos aliar um conjunto de fatores: o nosso edifício único, com vista para o mar, a comida, o serviço e a parte de bar.”

O ano de pandemia não ajudou a estruturar o restaurante como desejava. Por isso, considera esta estrela um reconhecimento maior. “Toda esta situação tornou complicado planear bem as coisas. Ora abríamos, ora fechávamos. A conquista neste momento tornou tudo isto ainda mais especial.”

Neste momento o Al Sud está encerrado para férias, por se tratar de uma época baixa na região do Algarve. Apesar disso, mesmo antes de fechar, o restaurante era bastante concorrido. “Fizemos a última refeição em novembro, completamente cheios. Houve outras alturas em que tivemos de trabalhar com lista de espera, já depois do verão.”

Al Sud, Lagos (Louis Anjos)
O Al Sud abriu este verão em Lagos.

O regresso está marcado para 23 de fevereiro e será feito com um novo menu. Neste momento, Louis Anjos ainda não tem a ementa finalizada. Só no início do ano a irá começar a trabalhar. Ainda assim, existem pratos que são para manter, como os dedicados aos produtos de mar, um dos destaques do projeto.

Durante os últimos meses, o atum com ostra da Ria de Alvor, o caviar com maçã, os noodles de porco com caldo do cozido, o robalo com arroz do Sado e mexilhão ou o carabineiro foram algumas das sugestões disponíveis.

O Al Sud conta com três menus de degustação: um com oito momentos (69€); outro com 10 pratos (90€); e o completo, com 12 opções (110€). É provável que os valores sofram alterações no regresso em fevereiro.

Depois de um ano em que Portugal foi disntinguido apenas dois restaurantes com uma estrela, a edição 2022 do Guia Michelin premiou cinco espaços no País. Para Louis Anjos podiam ter havido mais distinções. “Há restaurantes que já mereciam a segunda e até a terceira estrelas. O trabalho está a ser feito e irá surgir. Penso que podiam também ter chegado mais primeiras estrelas.”

Apesar das críticas, considera que o Guia está a fazer um bom trabalho uma vez que não é apenas Lisboa, o Porto e o Algarve que estão na mira dos inspetores. “Este ano houve uma estrela para o Alentejo [Herdade do Esporão], mas também já tivemos distinções para Guimarães ou Bragança. É bom ver que não há um paradigma e que não vamos atrás dos outros, fazemos o que acreditamos.”

Carregue na galeria para conhecer melhor os novos restaurantes portugueses que fazem parte do Guia Michelin.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT