Restaurantes

Metade dos 10 restaurantes Michelin mais caros do mundo ficam no Japão

Ainda assim, a refeição com o preço mais elevado num espaço deste tipo está em Espanha, no Sublimotion. Custa mais de 1.500€.
O Kitcho Arashiyama Honten é o primeiro japonês na lista.

O Japão domina a lista dos restaurantes Michelin mais caros do mundo. Dos 10 projetos onde mais se paga por uma refeição, cinco deles ficam neste país asiático. Existem conceitos neste top que ficam situados noutros países mas que são também dedicados à gastronomia japonesa. O ranking, divulgado pelo Chef’s Pencil, revela ainda que é em Espanha que se faz a refeição mais cara um espaço estrelado. O menu do Sublimotion custa mais de 1.500€ por pessoa.

“Os restaurantes japoneses compram peixes sazonais em todo o mundo e isso faz subir o custo dos ingredientes”, explicou à CNBC o chef Masaharu Morimoto, que participou em programas como “Iron Chef” e “Iron Chef America”.

“O custo de transporte e armazenamento adequados para esses ingredientes —, algo necessário, uma vez que produtos frescos do mar têm uma vida útil curta—, reflete-se no preço dos pratos”, continuou Masaharu Morimoto para explicar as razões que levam os restaurantes japoneses desta categoria a estarem entre os mais caros do mundo.

O Kitcho Arashiyama Honten, em Kyoto, é o primeiro a aparecer na lista do Chef’s Pencil. Está na terceira posição. Um menu de degustação neste espaço custa 805€ por pessoa. Na quarta posição está um representante de Tóquio, o Azabu Kadowaki. Para fazer aqui uma refeição terá de gastar 730€ por pessoa.

Depois, 560€ é quanto custam os menus nos outros três restaurantes japoneses no top 10 mundial: o Joel Robuchon, em Tóquio; o Kikunoi Honten e o Gion Maruyama, ambos em Kyoto.

“Os restaurantes japoneses têm um número limitado de lugares e geralmente tentam oferecer uma experiência gastronómica íntima e bastante significativa aos seus clientes. Alguns contam no máximo com oito lugares e muitos sem uma extensa equipa de colaboradores”, explica Masaharu Morimoto.

Japão tem mais restaurantes, mas o mais caro está em Espanha

Apesar de o país asiático dominar a lista, é em Espanha que se encontra o restaurante Michelin mais caro do mundo: o Sublimotion, em Ibiza. Tem 300 metros quadrados e apenas capacidade apenas para 12 pessoas por cada refeição. Desde a inauguração, em 2014, que é um espaço incontornável para os gastrónomos.

Ali não se faz apenas refeição digna de estrelas. Há todo um espetáculo envolvente, numa mesa única, cheia de cores com projeções que mudam ao longo da refeição. Sem esquecer os cenários no teto e as paredes que transportam os clientes para outros lugares recorrendo à utilização de realidade virtual.

No Sublimotion o cenário está sempre a mudar.

A ideia do Sublimotion surgiu ao chef Paco Roncero durante as conversas que teve com pessoas de várias áreas que à partida pouco teriam a ver com a restauração: ilusionistas, coreógrafos, músicos, realizadores ou engenheiros. Assim se iniciou a viagem que viria a culminar num espetáculo gastronómico.

Nigiris de camarão com polvo; foie gras assado com caril e espinafres; vichyssoise com amêndoas e lagostins; ovos com caviar e batata; e linguado com manteiga negra, são algumas das sugestões que pode provar num menu que chega aos 1.540€ por pessoa.

E em Portugal?

Em território nacional também encontra bons exemplares de restaurantes Michelin, mas os preços não são tão elevados. Em setembro de 2021, o Chef’s Pencil divulgou a lista inversa, com os países onde é mais barato comer um restaurante estrelado. Portugal é um deles.

A publicação de gastronomia analisou mais de 450 espaços — todos eles detentores de uma, duas e três estrelas. Desde logo, o estudo revelou que, em média, o valor do menu de degustação ronda os 235€ por pessoa.

A Mesa de Lemos é um dos restaurantes com estrela Michelin em Portugal.

Na Tailândia vale mesmo a pena visitar estes espaços de topo, que cobram em média 173€ por pessoa. Seguem-se a Irlanda com 180€, a Coreia do Sul e Taiwan com 181€ e finalmente Portugal, na quinta posição, com um valor a rondar os 185€.

Carregue na galeria para conhecer melhor os novos restaurantes portugueses que fazem parte da edição 2022 do Guia Michelin.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT