Restaurantes

Na noite da independência, Portugal ganhou 5 novas estrelas Michelin — e um guia só seu

A mais recente edição do guia gastronómico foi apresentada em Toledo, Espanha. No próximo ano, a gala decorrerá em Portugal.
Vasco Coelho Santos foi um dos premiados

Mais do que estrelas, a grande novidade da noite para Portugal foi a conquista da independência. O Guia Michelin, que realizou a gala ibérica esta terça-feira, 22 de novembro, na cidade espanhola de Toledo, revelou que ao fim de muitos anos a partilhar os eventos e a notoriedade com Espanha — o que regularmente empurrava o nosso País para o canto da sala —, teremos finalmente um guia próprio.

A cerimónia distribuiu mais estrelas a restaurantes nacionais: estreiam-se cinco espaços no novo Guia. O primeiro a subir ao palco foi o chef José Avillez, na companhia do chef José Diogo, os dois responsáveis pelo lisboeta Encanto, que se torna assim no primeiro vegetariano em território nacional a merecer a distinção..

Seguiu-se o chef Paulo Alves, do lisboeta Kabuki, e o chef Paulo Morais, do japonês Kanazawa. Mais a norte, ao Porto, chegaram duas novas estrelas: ao Eskalduna Studio do chef Vasco Coelho Santos e ao Le Monument, comandado pelo chef Julien Montbabut.

O anúncio do lote de estreantes contou com o apoio de Ricardo Costa, chef do The Yeatman, com duas estrelas Michelin, que apadrinhou a subida ao palco de quatro chefs portugueses e um francês. Além do mapa das estrelas, o novo guia inclui mais sete novos restaurantes recomendados e mais 15 novos nomes na lista dos Bib Gourmand, a categoria abaixo das estrelas, onde cabem espaços com ótimas refeições a preços mais moderados.

Para Portugal veio também uma estrela verde, entregue a restaurantes que demonstram o seu compromisso para com a sustentabilidade. A menção honrosa coube ao restaurante Mesa de Lemos, em Viseu, comandado pelo chef Diogo Rocha.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT