Restaurantes

No novo Pica Pau, Luís Gaspar faz comida portuguesa autêntica, sem twists nem invenções

O chef comprou vários livros de cozinha tradicional em alfarrabistas, tudo para fazer os pratos mais típicos possíveis.
São vários os pratos portugueses. Fotos de Nuno Correia.

Por norma, vemos Luís Gaspar atrás do balcão na Sala de Corte, no Cais do Sodré, entre carnes maturadas nacionais e estrangeiras. Agora, o chef subiu até ao Príncipe Real para abrir um novo projeto, o Pica Pau, dedicado ao melhor da gastronomia portuguesa. É tudo é feito e apresentado da forma mais crua e típica possível, sem invenções nem twists. “Fazer um restaurante de cozinha portuguesa tradicional parece fácil, mas é complicado. É complicado acertar no ponto exato, nos ingredientes certos e nas técnicas adequadas”, explica o chef à NiT.

O restaurante fica no lugar do antigo Pesca, na Rua da Escola Politécnica. O espaço ficou no mesmo grupo (Plateform), sofreu algumas alterações na decoração e recebeu um conceito completamente novo dentro do portefólio da empresa, 100 por cento dedicado à gastronomia nacional.

“Sempre foi um sonho antigo meu. Sou um defensor da cozinha portuguesa e da valorização do produto nacional.” O chef recorda que, quando conquistou o concurso Chefe Cozinheiro do Ano, em 2017, apresentou um menu bem português.”

“Comecei com uma sopa da pedra, tinha também uma caldeirada de bacalhau e uma mão de vaca com grão.” Na competição houve mais técnica envolvida e reinterpretações dos pratos, algo que não faz parte das opções que são servidas no novo Pica Pau.

“O meu único papel é encontrar os melhores produtos, dar-lhes o melhor tratamento, usar as técnicas mais indicadas. Estamos a fazer a cozinha certa com os produtos certos. Não temos um crocante, uma espuma, é só ingrediente bem feito”, continua.

Assume que é necessário ser-se ousado para abrir um projeto destes. “É preciso ter coragem de mostrar cozinha portuguesa desta forma, de respeitar os produtos portugueses como fazemos.” Além da compra dos livros mais antigos, houve muito trabalho de pesquisa e estudo. “Também nos baseámos em referências de Maria de Lourdes Modesto ou Virgílio Gomes, tudo para percebermos o que estávamos a fazer.

É tudo muito tradicional, mas no couvert inovam de alguma forma, se bem que trazem um hábito bem português. “Temos o pão de Mafra que cozemos no restaurante, a manteiga da ilha do Pico, azeitonas marinadas e, em vez do azeite, temos o molho do pica pau. É muito comum em Portugal molharmos o pão em assados com molhos. Quisemos trazer isso para o couvert.”

Este é uma forma de fazerem uma referência ao nome do restaurante, mas a ideia do Pica Pau foi outra. “É um prato típico lisboeta das casas de pasto. Quisemos trazer essa memória e homenageá-la de alguma forma.”

No menu do novo espaço do Príncipe Real existe uma área mais de petiscos, outra de pratos e opções do dia, que vão mudando. “É algo que os restaurantes tradicionais fazem muito e as pessoas marcam para irem comer um prato específico a um determinado dia da semana. Também quisemos trazer esse hábito para o Pica Pau.”

Neste caso, às segundas vai encontrar a açorda de gambas, às terças a mão de vaca, às quartas os filetes de pescada com arroz de tomate, e à quinta o cozinha. Estas propostas custam sempre 12€. Já para petiscar tem as gambas ao alho (10€), o pica pau, claro (14€), as iscas de cebolada (6€), ou os peixinhos da horta (6€).

Entre os pratos principais, que estão disponíveis todos os dias, tem o bacalhau à Brás (16€), o polvo à lagareiro (19€), o arroz de garoupa com berbigão (17€) ou a açorda de espargos verdes, alho e coentros (14€).

“A valorização do produto português é muito importante. Já trabalhávamos com grande parte dos fornecedores, outros foram recomendados.” O Pica Pau foi inaugurado a 7 de julho e tem capacidade para 48 pessoas. Desde que abriram as portas tem sido um sucesso, com várias rotações de mesas principalmente aos jantares. “Este é um projeto de respeito à cozinha portuguesa e aos portugueses.”

Carregue na galeria para conhecer melhor o novo Pica Pau.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. da Escola Politécnica 27, 1200-244 Lisboa
    1200-244 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das: 12:00
  • Às: 16:00
  • Das: 19:00
  • Às: 01:00
  • Sexta, sábado até: 01:00
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT