Restaurantes

O Blue Bistro mudou e traz uma homenagem à cozinha portuguesa “com um toque moderno”

O restaurante do The Vintage Hotel esteve encerrado para obras e reabriu em março com muitas novidades.
No novo espaço continua a reinar o azul.

A esquina do hotel The Vintage manteve-se silenciosa durante um mês. Mês de trabalho e renovação que traz agora um novo Blue com outra decoração, conceito e carta. Mas uma coisa é certa: continua a ser um local onde se pode comer pratos com tradição, com um toque de modernidade.

O restaurante, agora em formato bistro, reabriu a 10 de março, para responder aos desafios que a localização lhe traz. “Quisemos adaptar as características do restaurante, do hotel e da zona em que se insere na capital. A renovação foi feita porque havia algumas coisas que não estava tão fiéis à imagem que queríamos”, explica o chef João Silva à NiT.

O recanto da esplanada acolhedora com um jardim vertical, continua praticamente igual. Mas no interior as coisas mudaram radicalmente. No meio da sala existe agora um sofá ondulante azul petróleo que divide os dois lados e abre mais espaço na divisão. Nas paredes e tetos há claras referências à costa portuguesa. “É pela tranquilidade que o oceano transmite”, justifica o chef. “Queríamos criar um ambiente tranquilo e convidativo a refeições mais demoradas e de partilha”, acrescenta.

Decoração à parte, o que realmente interessa é o que acontece na cozinha. João Silva assume novamente os comandos e criou uma homenagem à gastronomia portuguesa. A carta tem opções para quem gosta de carne, peixe e legumes disponíveis de manhã à noite. A começar, o chef destaca o creme de abóbora assada, côco e gengibre com pão de centeio de fermentação natural (8€) ou os rissóis de bacalhau e amêijoa (11,50€). Caso queira partilhar, pode também pedir o Queijo de ovelha artesanal gratinado com flocos de chili, mel e noz pecan (9,50€).

Nos pratos mais compostos, um dos protagonistas é o pernil de porco (45€), cozinhado durante 48 horas e que acompanha com arroz de forno e grelos salteados. Para quem preferir, o chef também destaca o risotto de cogumelos, abóbora assada e ovo escalfado (15,50€), ou o Lombo de bacalhau à Brás (17€). Para “comer com as mãos” há tacos de peixe espada crocante, pickles, coentros e lima (16,50€) ou asinhas de frango picantes (10,50€).

Nos doces a estrela é o cheesecake de abóbora e frutos secos (9€). Para os fãs de chocolate há brownie com frutos vermelhos, crème fraîche e granola (8€).

A ideia de partida era criar uma cozinha “despretensiosa, descontraída, onde se possa reunir os amigos”, começa por dizer o chef, que já passou pelas cozinhas do Quinta do Arneiro, o Vila Vita, o Bela Vista ou o São Gabriel e no portefólio guarda ainda uma experiência num espaço em Berlim, no Schlosshotel im Grunewald.

A lista dos cocktails também surge completamente renovada, com opções que vão desde clássicos (12€) aos de assinatura (12€ a 14€). Um dos destaques é o Rum Rebellion (10€) que surge de uma combinação de rum, banana, canela, lima e clara de ovo. Há ainda margaritas de morango ou gengibre e mocktails, para quem dispensa o álcool.

Carregue na galeria para descobrir o renovado restaurante do The Vintage Hotel, em Lisboa.

Áudio deste artigo

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. Barata Salgueiro 55
    1250-189 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Segunda a domingo das 12h Às 15h e das 19h às 22h30
PREÇO MÉDIO
Entre 30€ e 50€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT