restaurantes

O brunch de domingo está de volta ao Myriad — com um menu diferente todas as semanas

O pequeno-almoço tardio junta sugestões que mudam semanalmente. A vista é a de sempre: o Tejo e o Parque das Nações.
Das entradas às sobremesas, tudo irá ser diferente.

Aos poucos, o movimento no hotel Myriad by SANA, no Parque das Nações, em Lisboa, começa a retomar alguma normalidade. Primeiro reabriu o Fifty Seconds, em junho, o restaurante com estrela Michelin do topo da Torre Vasco da Gama. Em agosto o hotel voltou a receber hóspedes. Arrancou em exclusivo para a equipa do Paris Saint-Germain, que aqui esteve durante a fase final da Liga dos Campeões. A partir daí retomou com as reservas habituais. No final de setembro, mais um regresso: o brunch de domingo.

Devido à pandemia da Covid-19, o serviço em buffet livre teve de ser alterado, mas não se preocupe que não deixa de ter opções que parecem não acabar e de ficar bem composto para o resto da tarde. Arriscamos mesmo dizer que só voltará a ter fome no dia seguinte. O brunch regressou no último fim de semana de setembro com várias alterações, mas com a vista de sempre no River Lounge: para o Tejo, o Parque das Nações e a Torre Vasco da Gama.

Todas as semanas, os pratos apresentados vão ser diferentes e temáticos. Quando a NiT foi conhecer todas as mudanças, no domingo, 4 de outubro, o menu servido era de inspiração asiática. Para o próximo fim de semana as propostas serão italianas. Mais trabalho para o chef Carlos Cardoso que terá de pensar e criar pratos todas as semanas, nada que o preocupe.

Só há uma zona de buffet, mas é assistido.

“O principal é apresentar boas sugestões e não defraudar as espectativas à mesa. As pessoas estavam habituadas a um buffet, mas não deixam de ter várias opções. Como todas as semanas é diferente, têm sempre motivos para voltar”, explica o chef à NiT.

Carlos Cardoso é também uma das recentes apostas do grupo SANA neste hotel. O chef, que passou pelas cozinhas da Fortaleza do Guincho e do Ritz, mais recentemente, desenvolveu o conceito do brunch e está ainda a criar a nova carta do River Lounge, que será conhecida em breve.

No restaurante do piso térreo, logo a seguir ao lobby do hotel, deixam de haver as várias mesas de buffet em modo self service. Há apenas uma área onde estão estão alguns dos pratos quentes, mas esses serão servidos à mesa no decorrer da refeição, sempre a pedido do cliente.

A refeição começa com a entrega de um pequeno saco de papel para colocar a máscara. Seguem-se os pratos servidos em vários momentos. O primeiro, e o que sofrerá menos alterações a cada semana, é o das carnes frias, queijos e variedade de pães. Depois chegam as saladas.

A refeição que a NiT fez trouxe os sabores asiáticos à mesa. Foi servido um tataki de atum com algas wakame, um chirashi de lírio dos Açores e a quinoa branca com camarão e lima. O brunch prosseguiu com as propostas do mar. Neste caso houve camarão crocante com molho sweet chili e guacamole; tártaro de vieiras com com maracujá e tobiko; ostras de Sesimbra com molho ponzu; e gyozas de legumes.

A refeição começa por queijos e enchidos.

Todas estas opções vinham diretamente da cozinha. Na fase que se seguiu, a dos quentes, chegavam da estação montada na sala, ao que é chamado de buffet assistido. O menu, entregue aos clientes em papel plastificado no início da refeição, apresenta todas as opções que ali estão. Pode optar só por pedir um prato, ou escolher um pouco de cada. São sempre entregues à mesa, mas pode levantar-se para ver melhor as sugestões de chef. Não se esqueça da máscara.

Neste domingo que a NiT visitou o River Lounge havia caril tailandês com frango, camarão e amendoim; bacalhau lascado com consommé de cogumelos, miso e gengibre; e a vazia de vitela assada com laranja, alecrim e molho de pimenta da Jamaica. Podiam ser acompanhados com endívia caramelizada, mix de legumes ou um arroz asiático.

E o brunch não acaba por aqui. Para alguns, falta a melhor parte, a das sobremesas. O menu que lhe entregam no início tem as sugestões que pode pedir, ou melhor, as que chegam à mesa. Não terá hipótese de escolha, já que vem num prato de ardósia com uma dose de cada para cada elemento que o estiver a acompanhar na refeição. É uma espécie de degustação.

Experimentámos o sorbet de bergamota e lima, os macarons de maracujá, os cones com mousse de São Tomé e macadâmia, os profiteroles de framboesa, a tarte de banana e caramelo ou a pavlova de manga e coco. O menu de brunch fica a 49€ por pessoa.

As bebidas são à parte e existem pairings que pode fazer com diferentes vinhos e cocktails a serem servidos nos vários momentos do brunch. Há uma versão com sugestões sem álcool (9€), de vinhos (22€) e outro com espumante (45€). Podem alterar ligeiramente, também consoante os pratos que estarão no menu.

O brunch é servido sempre aos domingos a partir das 12h30. As reservas podem ser feitas diariamente com o hotel, pelo número de telefone 211 107 600.

As saladas de inspiração asiática.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Cais das Naus, Lote 2.21.01
    1990-173 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Domingo a partir das: 12:30
PREÇO MÉDIO
Mais de 50€
TIPO DE COMIDA
Mediterrânea

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT