restaurantes

O Cartel 36 está como novo — e a linha de pó branco ainda faz parte da refeição

Três anos depois de ser inaugurado, o restaurante do Parque das Nações, em Lisboa, reabriu com muitas novidades.

É com uma linha de pó branco bem traçada num prato de ardósia que todos os clientes são recebidos no Cartel 36, em Lisboa. Calma, não é o que parece. Não encontra neste restaurante qualquer substância ilícita, é tudo legal. Trata-se apenas de azeite em pó e faz parte do Cartão de Visita, uma das entradas deste restaurante no Parque das Nações que abriu, em dezembro, depois de ter sido renovado.

A linha de azeite em pó é para acompanhar com pão torrado, azeite e azeitonas. Custa 3€. O Cartel 36 abriu pela primeira vez em janeiro de 2016. Esteve fechado durante os últimos meses para obras na cozinha e na sala. O espaço está maior, com uma decoração idêntica e há também um novo chef a preparar os diferentes pratos.

Os responsáveis pelo espaço continuam a ser Cátia Aguiar e Gonçalo Carvalho. Antes de se dedicarem a este projeto, Gonçalo estava a trabalhar como monitor numa escola, mas sempre teve a ideia de abrir um bar. Já Cátia era produtora de eventos e queria um espaço próprio para dar continuidade à profissão.

O nome surgiu por acaso: “Queríamos algo diferente”. Só Cartel parecia pouco, por isso acrescentaram o 36. “É a soma da data em que começámos a namorar, 10/12/14. Por coincidência, dei-lhe um anel que tinha 36 pedras”, explicou à NiT Gonçalo Carvalho. A meio do processo, juntou-se João Drumond, o chef responsável por todos os pratos que saem da cozinha.

Maria Luísa é a matriarca deste família.

O lema do restaurante era, e ainda continua a ser: “mi casa, es su casa”. O objetivo é juntar as pessoas à mesa para bons momentos entre amigos e partilhar grande parte das opções, inspiradas na cozinha portuguesa.

Além do Cartão de Visita, que dá sempre boas fotos para partilhar nas redes sociais, pode começar uma refeição no Cartel 36 com chouriço de Mafra no espeto (4,50€), alheira com espargos (7,50€), queijo de Azeitão derretido com mel (8,50€), ou com a tábua de enchidos e presunto (7,50€).

Já nos pratos, tem a bochecha de vitela (14,50€), o acém de vitela açoriana (13€), as plumas de porco preto com massa de pimentão verde (10€), o lombo de bacalhau com massa de alho (14,50€), ou o magret de pato com molho de laranja (12€).

No final, pode pedir a panna cotta de lima e amêndoas (3,50€), o chessecake de framboesa (4€) ou os gelados artesanais (4€). Para acompanhar há cervejas, cocktails, vinho a copo ou garrafas, e até jarros de sangria.

O restaurante tem capacidade para 32 pessoas.

A zona da cozinha ficou maior e a sala tem agora lugar para 32 pessoas. A decoração foi ligeiramente mudada, mas com algumas referências ao cartel, como é o caso de uma placa que informa que ali existe tráfico de comida.

Segunda-feira é o único dia que estão encerrados. Depois estão a funcionar aos almoços e jantares entre as 12h30 e as 15h30 e as 19h30 e a meia-noite.

Carregue na galeria para conhecer melhor o renovado Cartel 36.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Sinais de Fogo, Lote 3.14.04C, Loja 12C, Lisboa
    1990-197 Lisboa
  • HORÁRIO
  • De terça a domingo do 12h30m às 22h30m
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT