Restaurantes

O El Clandestino deixou Lisboa, mudou-se para Cascais e está cheio de novidades

Durante cinco anos foi um espaço de comida mexicana no Príncipe Real. Na nova morada reiam os sabores peruanos.
O restaurante passou a ter um menu peruano.

As noites em Cascais tiveram durante vários anos um local de paragem obrigatório: o Piper’s Pub. O espaço histórico na vila — com mais de 40 anos — encerrou. Eram muitos os que aqui se deslocavam para comer um prego ou outro petisco. O número 10 da Avenida Costa Pinto acabou de ganhar um novo morador, o El Clandestino. Apesar das propostas mais peruanas e asiáticas, manteve um prego no menu, que vai sair da cozinha até às duas da manhã.

“O Piper’s era um pub mítico em Cascais. Apesar de mudarmos todo o conceito quisemos manter um pouco dessa tradição que aqui se viveu”, explica à NiT João Baptista, 39 anos, um dos quatro sócios do novo restaurante.

O El Clandestino abriu pela primeira vez no final de 2015, na altura no Príncipe Real, e com um menu dedicados aos sabores mexicanos, com tacos e margaritas. João Baptista já fazia parte do projeto original, assim como Salvador Sobral. Com a mudança para Cascais — o restaurante foi inaugurado a 20 de maio — juntaram-se Bernardo Crespo e Kellman Sequeira.

“O Bernardo e o Kellman eram amigos dos antigos donos do Piper’s. Depois do espaço fechar convidaram-nos para trazermos o conceito do El Clandestino para aqui.” O restaurante de Lisboa fechou no início da pandemia. A abertura na nova localização só aconteceu depois de concluídas as obras que eram necessárias. Pelo meio, fizeram uma mudança radical no conceito.

“Durante o tempo em que estivemos em obras abriram cinco restaurantes mexicanos. Tivemos de repensar o projeto e tivemos a sorte de encontrar um chef peruano. Esta nova carta apresenta ainda propostas asiáticas.”

Apesar de novas sugestões no menu, decidiram manter o nome. “Achámos que o espírito era o mesmo. Ao do Príncipe Real até já chamávamos de mexicano/peruano, uma vez que tínhamos ceviche também. A marca já tinha algum nome, a coisa funcionou bem e também ainda não sabemos se podemos, ou não, voltar a ter tacos.”

O responsável pelo novo menu de Cascais é o chef Teófilo Quiñones. Aqui poderá experimentar o lombo salteado no wok (17€), o ossobuco com vinho tinto e chalotas (13€), os ceviches (desde 13€) ou o bao de salmão (9€).

Como já referimos, o prego à Piper’s também está na ementa (11€). O restaurante funciona também à noite e conta com uma oferta de cocktails, como é o caso das margaritas (9€).

“A nossa onda é um espírito festivo, na mesma linha do espaço do Príncipe Real. Em Cascais vamos funcionar até às quatro da manhã às sextas e aos sábados.” Nestes dias haverá sempre um DJ convidado.

A ementa mudou e a decoração também, mas existe um elemento comum. “Apostámos novamente nas plantas e trouxemos a escultura da favela de Lisboa, que tinha de estar no interior desde El Clandestino”. O restaurante tem capacidade para 80 clientes no interior, mais 20 na esplanada — algo que não tinha no Príncipe Real.

A ideia de abrirem novamente em Lisboa não foi completamente colocada de parte. Para já, se quiser a reviver as noites do El Clandestino terá de passar por Cascais.

Carregue na galeria para conhecer melhor o novo El Clandestino.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Av. Costa Pinto 10, 2750-329 Cascais
    2750-329
  • HORÁRIO
  • Das: 19:00
  • Às: 00:00
  • Sextas e sábados até: 04:00
  • Domingo a partir das: 12:00
PREÇO MÉDIO
?

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT