Restaurantes

O menu mais honesto do mundo tornou-se viral: “Não sei como ainda pedem este prato”

Dizer a verdade aos clientes revelou-se ótimo para o negócio no Aunt Dai, em Montreal.
Já ganhou novos clientes

Estamos habituados a olhar para a ementa e saber o que temos pela frente. Há cartas que são simples e diretas, outras chamam a atenção pela criatividade. Em qualquer dos casos, se tivermos alguma dúvida, é provável que nos digam que o prato do dia “está excelente” ou que é “uma sugestão do chef”.

Porém, no Aunt Dai, um restaurante chinês em Montreal, é precisamente o contrário que acontece. Por aqui, todos os empregados dizem a verdade, mesmo que isso signifique avisar os clientes que os pratos não são grande coisa. A honestidade é tal que o espaço se tornou viral e foi notícia por estas dias.

Como está a vitela com laranja? “Este prato não é assim TÃO bom comparando com o de galinha Tao. De qualquer das maneiras, eu não sou grande fã de comida chinesa norte-americana e você é que sabe”, é uma das descrições que encontramos. Mas há mais.

Sobre um dos pratos de porco, o dono do restaurante explica na ementa: “Segundo a Internet, este é o prato que mais chineses pedem. É tão popular que tem muitas versões diferentes na China. Como a minha expectativa por este prato é tão grande confesso que não sou especial fã da nossa versão, para ser honesto. Mas não me interpretem mal, também é muito saboroso no nosso restaurante, mas é diferente daqueles que provei durante a faculdade”.

Noutro exemplo, a ementa explica que a parte de vitela era servida em pedaços com pauzinhos, “mas muitos clientes magoavam-se nos lábios pensando que era um ingrediente mais duro”. Por essa razão tiveram de mudar o prato. Há ainda um prato de galinha em que o sabor ainda não está no ponto. “Não estamos satisfeitos a 100% com o sabor mas vamos melhorar. P.S: Não sei como é que há clientes que ainda pedem este prato”.

Para outro prato, este com caril, a ementa avisa: “Não esperem que seja assim tão saboroso”. Ainda assim, “é uma escolha segura”. Os crepes? É possível que sejam “pequenos demais” para alguns clientes.

A sugestiva e honesta ementa é da autoria do dono do restaurante, Feigang Fei. Há alguns anos que a ementa no restaurante é assim, mas tornou-se viral recentemente, numa publicação de Kim Belair, cofundadora de uma start-up, que partilhou no Twitter que aquele era o seu restaurante chinês favorito em Montreal. E uma das razões era a ementa.

Entre as milhares de partilhas e dezenas de milhares de reações na plataforma, o Aunt Dai ganhou ainda mais clientes por estes dias, como o próprio Feigang Fei tem dado conta à imprensa canadiana.

Montreal vive também dias de confinamento, pelo que uma visita ao local só mesmo em modo take-away. Ainda assim, não têm tido mãos a medir com pedidos, nomeadamente de plataformas de entrega ao domicílio. “Levam uma percentagem elevada”, queixa-se. Ainda assim, tem dado para manter o restaurante aberto nesta fase difícil para o negócio.

Fei é um engenheiro informático que emigrou para o Canadá há 14 anos. O Aunt Dai teve uma primeira localização, mas um incêndio destruiu o espaço. A nova morada é no 1448 da rua St. Mathieu, no centro de Montreal, no estado do Quebeque. Os preços médios andam à volta dos 10€, 15€ por pessoa.

A nova localização é mais espaçosa, ao ponto de o dono ter achado que o segundo andar podia ser aproveitado para receber as aulas de francês e inglês de outros emigrantes. “Chegam tantos imigrantes a este país que são sobrequalificados”, conta ao “The Guardian”.

“Nós não temos um grande prato, algo que seja complexo e que mostre o génio da confeção. Mas a nossa comida vai ser sempre boa, simplesmente não somos os melhores. Bem, se calhar somos um pouco melhores do que a média”, afirma.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT