restaurantes

Este ano, as estrelas Michelin vão ser apresentadas online — e há uma nova categoria

É uma nova categoria que se junta às já conhecidas distinções. Desta vez é para premiar os restaurantes mais sustentáveis.
A gala será diferente este ano.

A apresentação do novo Guia Michelin para Portugal e Espanha estava marcada para 30 de novembro. Tudo ia acontecer em Madrid, a capital espanhola, mas o evento teve de ser cancelado devido à pandemia. Este ano não haverá convidados, degustações e a habitual subida ao palco para a entrega das jalecas. A cerimónia será online e feita a partir da Casa Real de Correos, também em Madrid, a 14 de dezembro.

Uma das novidades da edição 2021 do guia, que já tem vindo a aparecer em alguns países este ano, são as estrelas verdes. Estas vão servir para premiar restaurantes que se destaquem pela sustentabilidade, pela proteção do ambiente nos espaços e até pela utilização de produtos locais ou de plantações próprias, por exemplo.

A primeira destas estrelas verdes vai atribuída ao Mirazur, em França. Este espaço conta com três estrelas Michelin e um jardim sustentável de onde chegam os vários vegetais usados na cozinha. O restaurante usa ainda loiças da marca portuguesa Studioneves.

O ícone desta nova distinção da Michelin é um trevo verde com cinco folhas. No Guia são entregues as estrelas, mas também destacados alguns pratos e os Bib Gourmand, restaurantes mais em conta e que valem a pena a viagem.

Em Portugal, por exemplo, o Feitoria, do chef João Rodrigues, poderia ser um dos espaços a receber esta distinção, muito devido ao seu projeto Matéria e a ligação com vários produtores. Também Pedro Lemos, no Porto, apresenta um jardim de vegetais. Já o recente espaço do chef Alexandre Silva, o Craveiral FarmTable, irá ter mais de 70 por cento dos ingredientes vindos de hortas e pomares próprios.

Na passada edição do Guia Michelin, Portugal conseguiu um novo duas estrelas, a Casa de Chá da Boa Nova, do chef Rui Paula. Já com uma estrela foram distinguidos o Vistas, de Rui Silvestre; o Epur, do chef Vincent Farges; e o Fifty Seconds, de Martín Berasategui, que tem o português Filipe Carvalho como chef executivo.

Portugal conta com sete restaurantes com duas estrelas e 19 com uma. Veremos o que nos espera a edição deste ano, que, pelo que se vê noutros países, tem sido algo mais contida, muito devido à pandemia e ao trabalho mais condicionado durante alguns meses por parte dos inspetores.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT