Restaurantes

O restaurante itinerante de 12 metros que anda pelo Alentejo a servir petiscos

A ideia surgiu numa brincadeira entre mãe e filha e o nome diz muito sobre o projeto que muda de local a cada duas semanas.
Desmontá-lo é uma aventura.

Autocarros transformados em casas já há vários e, ainda que acordar todos os dias com uma vista diferente seja incrível, são cada vez mais comuns. Mas quando se trata de cozinhar diariamente num novo local, a conversa é diferente. E Tatiana Farias e Ana Paula Margarido sabem-no bem. Sabem elas e quem vê chegar um restaurante sobre rodas às suas terras.

“As pessoas ficam sempre muito surpreendidas e a tentar perceber de que forma é que cabe tudo dentro de um autocarro”, começa por nos contar Tatiana, de 24 anos. É que lá dentro não há apenas uma cozinha de seis metros.  O veículo com 12 metros de comprimento tem também um balcão, uma casa de banho e nada menos do que mesas que recebem até um total de 14 clientes. E para aumentar o fator surpresa, é ainda montada uma esplanada com duas no tejadilho.

Trata-se do Restaurante Sobre Rodas e o nome já diz muito sobre o conceito. Criado por Tatiana e a mãe, Ana Paula, de 46 anos, é um espaço itinerante que circula em algumas localidades do concelho de Odemira. O objetivo é um: oferecer aos seus clientes uma experiência inesquecível, enquanto dinamiza as zonas interiores do país que não têm tanta oferta de restauração.

“Num restaurante fixo só poderíamos estar num local, ou seja, só iríamos servir aquela população. Com este meio podemos chegar a vários pontos”, conta a empreendedora. A ideia surgiu numa brincadeira entre família, numa altura em que foi divulgado o concurso Espírito Empreendedor 2019, promovido pelo Município de Odemira.

Juntaram então a experiência de mais de 25 anos de Ana Paula enquanto cozinheira e a formação em gestão de Tatiana e resultou no projeto que, para felicidade das duas, acabou por ser o eleito na categoria de plano que poderia vir ou não a ser executado.

“Depois de ganhar, a minha mãe decidiu seguir com a ideia e aí começou o processo de procurar como poderíamos transformar o autocarro. O objetivo inicial era que fossemos nós a transformá-lo, mas rapidamente percebemos que isso não seria possível”. Encontraram assim uma empresa que lhes vendeu o veículo já transformado. “Durante esse processo, nós fomos dizendo como é que queríamos e entregaram-nos o autocarro um ano depois” — um período que durou mais do que era suposto devido também à pandemia e à falta de materiais, conta a jovem à NiT.

Além do espaço interior e do piso superior, o Sobre Rodas serve os seus pratos tipicamente alentejanos também na esplanada exterior montada mesmo em frente ao veículo. Com tantos elementos, pode já imaginar a gestão necessária para montar e desmontar cada vez que mudam de localidade. Cenário que acontece a cada duas semanas.

Entre arrumar tudo, embalar loiças e tirar a esplanada, “é sempre uma aventura”, revela-nos Tatiana. É um processo que leva um dia e que é feito sempre às terças-feiras, o dia de descanso (mas pouco) do pessoal. A viagem, aliás, é feita ainda na noite anterior, para que, assim que cheguem à paragem seguinte possam preparar e às 11 horas de quarta-feira estarem prontos para servir.

A rota, essa, já está previamente planeada. “Temos uma licença de ocupação de espaço público pela Câmara Municipal, por isso, já está tudo estipulado”. Ainda assim, o mapa pode sofrer algumas alterações caso surjam convites de participação em feiras, por exemplo.

O que também sofre mudanças é a comida servida. Em vez das doses habituais de moelinhas (4€), camarão à Brás (7€), ou mexilhões à espanhola (7,50€), os pratos são feitos para serem partilhados em forma de petisco. Isto porque as fundadores do projeto perceberam que não existe, em Odemira, uma grande oferta deste tipo de modelo. “Assim, os nossos visitantes podem provar várias coisas diferentes ao mesmo tempo”, acrescenta.

Mesmo com uma açorda de camarão servida dentro do pão alentejano (12,50€), são os ovos rotos (9,50€) os mais procurados. E é Ana Paula a responsável pela sua confeção. Durante a semana, no período de inverno, a cozinheira é a única dentro da cozinha do restaurante. É também ela quem procura dar prioridade aos produtos locais utilizados nos petiscos.

A adaptação, contudo, não foi fácil. Habituada a trabalhar em espaços grandes e por conta de outros, teve de se adaptar a uma nova realidade. Uma onde é tudo muito mais pequeno. “Mas nada a impede de servir quase o mesmo número de refeições que servia nessas cozinhas”. E o resultado não poderia ser melhor.

“Tínhamos algum receio de que as pessoas nos deixassem de procurar por estarmos sempre a mudar de local. Mas é muito giro porque acabam nos seguir”. O objetivo é então atingido: várias pessoas deslocam-se até às localidades menos movimentadas. Foi precisamente o que aconteceu na última semana. O Sobre Rodas mudou-se, pela primeira vez, para São Luís (uma freguesia no município de Odemira), local que, por não conhecerem tão bem, deixou mãe e filha reticentes. O feedback, contudo, é positivo.

“Tivemos imensa partilha e foram vários aqueles que ficaram gratos por termos cá passado. Afinal, este é um local por onde pouco se passa e o negócio acabou por trazer visitas”, garante-nos a jovem.

Por enquanto, o Sobre Rodas estará apenas em Odemira, mas Tatiana e Ana Paula estão já a analisar algumas propostas para outros concelhos. Pode ir acompanhando o roteiro através das redes sociais da marca. Num futuro, existe a possibilidade de se criarem novos restaurantes em autocarros, mas essa é uma ideia que irá demorar. “Só estamos abertos há seis meses. Agora o foco está em planear o próximo inverno”, remata.

Carregue na galeria para conhecer este restaurante único no País.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Odemira
  • HORÁRIO
  • Quarta a segunda-feira das 11h às 21h
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT