Restaurantes

O tasco com que Filipe sempre sonhou está finalmente a servir pratos em Benfica

Durante 13 anos esteve ligado ao catering. A pandemia fevou-o a abrir o Re’Tasco com a mulher, algo que sempre pensaram fazer.

“É algo muito corriqueiro, mas estava sempre a dizer à minha mulher que um dia íamos abrir um tasco.” Filipe Marques, 36 anos, tem um passado profissional vivido na área da restauração. Depois de trabalhar em cafés e restaurantes esteve 13 anos ligado ao catering. A pandemia fez com que o negócio abrandasse e a ideia de sempre continuava a ecoar: a de abrir um espaço próprio com a mulher. E assim surgiu o Re’Tasco, na zona de Benfica.

Serviu centenas de batizados, casamentos e outros eventos numa quinta privada do Banco de Portugal na zona de Caneças. Era lii que tinha o serviço de catering a funcionar. “É um paraíso escondido, apenas para funcionários do banco e convidados. Tem mais de 22 hectares, piscinas, campos de ténis e de golfe.”

O projeto corria bem e até chegou a ser convidado a prestar serviços noutros espaços fora dali. A mulher, Vanessa Marques, 35 anos, trabalhava ao seu lado e também o acompanhou quando foi tomada a decisão de montarem um restaurante.

“A ideia era abrirmos um tasco, um remake de um tasco. Quando pensamos num nome veio logo a ideia de Re’Tasco.” A cozinha portuguesa reinventada domina grande parte do menu. “Temos um bacalhau à Brás diferente, a nossa reinterpretação do pudim Abade de Priscos , e muitas outras opções.”

A oferta não se resume ao tradicional português. “Temos uma cozinha diferenciada, que não se foca apenas no tradicional. Temos também carnes maturadas do Japão. Queremos que seja uma carta de que 99 por cento das pessoas possam usufruir”, explica.

O trabalho no novo Re’Tasco é diferente do que faziam no catering. “Aí estávamos um pouco limitados, a maioria das vezes não podíamos ultrapassar uma determinada baliza de preços. Aqui sinto-me completamente livre. Abro e fecho à hora que quero e os clientes ficam o tempo que quiserem.”

A decoração e grande parte das obras foram feitas pelo casal, que assume que o espaço está em constante mudança. “Foi tudo feito por nós, nada idealizado, foi tudo pensado conforme as obras foram acontecendo. Fomos decorando e ainda pensamos acrescentar mais coisas.”

À mesa chegam várias propostas, seja ao almoço ou ao jantar. Pode começar com patê de favas com chouriço (2,50€) e pão barrado com várias manteigas caseiras. Depois, pode optar pelos croquetes de polvo com maionese de tinta de choco (8€) ou pelo lingueirão à bulhão pato (13,50€) que dá para partilhar.

Já nos pratos principais, uma das propostas é o bacalhau lascado acompanhado por puré de favas e batatas a murro (15,90€). Entre as tais sugestões de carnes maturadas, têm picanha da raça japonesa Wagyu com mil-folhas de batata gratinada (26€).

Tudo isto pode ser acompanhado com uma carta de vinhos nacionais. São 200 referências de várias regiões — Douro, Dão, Algarve, Lisboa, Setúbal ou Alentejo.

Neste momento, Filipe está feliz no Re’Tasco, na companhia da mulher. Tem recibo telefonemas para voltar a fazer catering, mas prefere estar focado no projeto. “Já me ligaram a pedir que fosse eu a fazer a comida para o batizado do filho. Se o fizesse queria que fosse uma boa experiência, mas neste momento existe falta de pessoal. Quero focar-me a 100 por cento neste restaurante.”

Carregue na galeria para conhecer melhor o novo Re’Tasco.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Estrada do Calhariz de Benfica, 13, Loja Drt., 1500-121 Lisboa
    1500-121 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das: 12:00
  • Às: 15:00
  • Das: 19:00
  • Às: 22:00
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa, Internacional

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT