Restaurantes

Obicà: o novo restaurante do Porto onde tudo vem de Itália

É o primeiro espaço da cadeia internacional de mozzarella bar a abrir em Portugal. Conheça os pormenores.
Para provar e partilhar

A cozinha italiana é, sem dúvida, uma das melhores do mundo, por isso é normal encontrar restaurantes com esta comida em todo o mundo. O nome Obicà é quase incontornável para os mais viajados. Existem espaços desta cadeia em vários locais de Itália, mas também nos EUA, no Japão ou no Reino Unido. Agora, acaba de abrir o primeiro em Portugal: fica no Porto.

Apesar de a sua origem remeter apenas para 2004, desde que Sílvio Ursini lançou o primeiro Mozzarella Bar do mundo, já conseguiu expandir a sua influência para mais de 20 restaurantes, o que atesta que a ideia de criar um espaço onde o casual e o moderno se juntam com a cozinha italiana de qualidade é vencedora. No dialeto napolitano, Obicà significa “aqui está” e remete precisamente para o prazer de partilhar a mesa e uma boa refeição com a família e os amigos.

Regressando ao Porto, este primeiro Obicà português fica na Rua da Picaria, no local onde estava o Mini Bar de José Avillez. Depois de alguns impasses provocados pela pandemia, abriu mesmo a 19 de maio.

A ideia inicial de trazer o Obicà para Portugal, e para o Porto em concreto, começou há cerca de um ano, com o início da pandemia. Hélder Moura, António Freitas e Filipe Herculano, amigos de longa data e sócios na Datas e Conquistas, resolveram abrir um italiano, que inicialmente seria para uma marca própria.

“No Porto, porque é de onde nós somos, onde conhecemos as pessoas. Achámos que o primeiro negócio, o primeiro restaurante, devia ser na cidade onde nós temos alguma influência de amigos e de conhecermos o ambiente”, conta à NiT Hélder Moura.

A sala principal do mozzarella bar

Depois de conseguirem o espaço, surgiu uma oportunidade e juntaram-se à sociedade Best Value, dos irmãos Paulo Barros Vale e João Barros Vale, que já tinha comprado o master franchising do Obicà. Assim, as duas sociedades detêm o restaurante e a possibilidade de abrir outros no País.

“Já éramos para ter aberto há muito tempo, que ele estava quase pronto, mas com os confinamentos preferimos esperar a melhor altura para abrir”, explica o empresário, acrescentando que a pandemia impôs grandes constrangimentos à abertura: “Nem sabíamos quando é que podíamos abrir, é complicado”.

Apesar de ser um espaço que já estava dedicado à restauração, foi renovado. A decoração mudou para seguir as normas impostas pelo grupo mas não deixa de ter o seu cunho diferenciador. A montra é grande e, logo à entrada, parece que somos transportados para uma qualquer vila italiana, com floreiras em réplicas de janelas nas paredes.

A sala principal junta esses detalhes típicos italianos com um toque moderno e cosmopolita dado por espelhos que aumentam visualmente o espaço e elegantes mesas de mármore. Tudo isto com vista para o tal mozzarella bar. No piso de baixo há uma pequena sala que poderá ser utilizada para provar cocktails e alguns petiscos quando as regras assim o permitirem ou dar alguma privacidade a grupos mais pequenos.

Um detalhe importante que é preciso saber sobre o Obicà é que, tanto cá como noutro dos restaurantes da cadeia, todos os produtos vêm de Itália, de um conjunto de produtores específicos escolhidos pela empresa mãe. Até ingredientes como a água ou os vinhos vêm de lá, a exceção é apenas o café. Tudo é pensado ao pormenor e o controlo de qualidade é feito com regularidade, o que faz com que algum incumprimento esteja sujeito a uma multa.

“O nosso modo diferencial é esse, o cliente entra lá e sente que está num italiano, ao contrário de outros spots no Porto, em que é um italiano mas olha para o menu e se quiser nem come nada que é italiano”, salienta Hélder.

Aqui, os queijos são as estrelas

A comida é de facto o que se destaca, especialmente pela qualidade dos ingredientes. Os sabores são intensos e há cuidado em preservá-los.

“O Obicà é um conceito italiano muito natural. Tanto é que na nossa cozinha não utilizamos nem alho nem cebola, exatamente para não se sobrepor aos sabores do produto que nós recebemos”, revela à NiT a chef Margarida Amaro.

Tudo o que é confecionado ali tem origem biológica e certificado de origem protegida. Os ingredientes chegam de diferentes pontos de Itália, onde são feitos artesanalmente. As mozzarellas, por exemplo, chegam duas a três vezes por semana.

“O que nós garantimos é sempre um produto fresco e muito bom, tanto é que os nossos pratos são simples exatamente por essa razão, queremos que o cliente que venha ao Obicà se sinta em casa e que não saia daqui a pensar ‘fui a um italiano qualquer’. Não, ‘fui ao Obicà, porque de facto o produto deles vale a pena’”, aponta a chef.

Os pratos da carta são variados, mas há alguns a que não pode mesmo fugir, como as mozzarellas (6,50€). Porém, a melhor maneira de provar um pouco de todos os queijos será através da Gran Degustazione (33€). Ainda nas entradas, pode pedir a Il Gran Tagliere (26€), que é uma tábua onde encontra vários presuntos, queijos e crostini com tomate. Se preferir provar entradas individualmente, encontra opções tão variadas como o tártaro de tomate (8€), focacce oregano (5,50€) ou crostini (6,50€).

Provar as pastas é também indispensável

As pizzas são, claro, uma das estrelas do menu, destacando-se pela sua massa leve que é feita com 48 horas de antecedência. Pode provar algumas como a de tomate bio (8,50€), a de salmão fumado (21€) ou a de verduras (11€). No que toca às massas, a chef recomenda que não deixe de provar a schiaffoni (11,5€), uma especialidade com tomate orgânico e mozzarella. “Em italiano significa chapada, ou seja é o barulho que a mozzarella faz ao ser salteada com o molho de tomate, faz um barulho característico semelhante ao da estalada”.

Uma das escolhas mais difíceis chega na hora da sobremesa. Pode simplesmente pedir a degustação de doces (8€), que inclui tiramisù, bolo caprese e salada de fruta, o cannolo com creme de ricotta de búfala (7€) ou o imperdível tiramisù (6,50€).

Ao fim de semana, poderá ainda encontrar o brunch entre as 13 horas e as 17 horas. Os preços desta refeição variam entre os 12€ e os 20€.

Com cerca de 15 funcionários para um espaço que pode receber até 80 clientes, o Obicà representou um investimento de perto de 250 mil euros. A perspetiva é que daqui a um ano abram outro restaurante, embora só o tempo venha a dizer se isso acontecerá no Porto, na zona norte ou diretamente em Lisboa.

“Queremos que daqui a uns anos a referência do restaurante italiano seja o Obicà em Portugal. Vamos trabalhar para isso”.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Picaria, 10
    4050-259 Porto
  • HORÁRIO
  • De segunda a quinta das 12h30 às 15h e das 19h30 às 21h30
  • Sexta-feira das das 12h30 às 15h e das 19h30 às 00h
  • Sábado das 13h às 00h
  • Domingo das 13h às 22h30
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Italiana

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT