restaurantes

Oliver levou o Yakuza até Paris — já é o quarto restaurante do chef fora de Portugal

Depois de Brasil e Tailândia, o empresário chega a mais um país, desta vez com a primeira internacionalização deste japonês.
É o quarto restaurante do chef fora de Portugal.

A abertura estava prometida deste abril. Quando levou o Yakuza de volta até à Avenida da Liberdade, em Lisboa, Olivier já tinha em mente abrir este conceito japonês fora do País. Paris, em França, era a primeira paragem. Faltavam acertar pormenores, finalizar o espaço, tudo o que aconteceu nos últimos meses. A inauguração acontece esta quinta-feira, 9 de setembro.

É no interior do Maison Albar Hotels – Le Vendome, em Paris, que se encontra o mais recente projeto do chef. A ligação com este grupo hoteleiro não é de agora. Quando abriu o Yakuza no Porto, na Avenida dos Aliados, tinha sido também um espaço da Maison Albar, o Le Monumental Palace.

Este restaurante em Paris é o quinto do Yakuza. Os outros quatro ficam em Portugal: Lisboa, Cascais, Algarve e Porto. Esta não é a primeira vez que Oliver abre um projeto no estrangeiro. Já tinha o Seen em São Paulo, no Brasil, Bangkok e Koh Samui, ambos na na Tailândia. No total esta é já a 18.ª abertura do empresário.

No Maison Albar Hotels – Le Vendome, o novo Yakuza não fica longe de alguns pontos emblemáticos da cidade parisiense, como a Ópera e o Museu do Louvre. Assim que entrar pelo lobby é procurar pelo samurai, algo tradicional em todos os espaços deste conceito, para saber que é ali a porta para a sala.

Há lugares também ao balcão.

Há lugares à mesa ou ao balão numa sala que teve assinatura do arquiteto Fabien Roque, do Roque Intérieurs. Há arte urbana nas paredes, como no espaço em Lisboa, e uma luz mais suave. Na carta, o destaque vai para os clássicos deste conceito japonês e que também se encontram nas opções dos outros restaurantes.

Tem, por exemplo, a pata de caranguejo grelhada com molho miso, o kobe gunkan com wagyu, foie gras, cebola confitada e teriyaki, os tacos sakana, as tempuras, a robata, a conhecida grelha japonesa, mas também as gyozas, gunkans e makizushis.

Nas noites de quinta-feira e sábado haverá DJ. A música, tal como o samurai e os pratos japoneses, são uma constante nestes conceitos de Olivier.

Um dos próximos objetivos passa também por levar outras marcas do grupo para fora do País. Por enquanto, é só mesmo Seen e o Yakuza que estão noutros países além de Portugal.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT