Restaurantes

Ōshiki: o novo japonês de Lisboa onde prova sushi com vinhos exclusivos

As referências são todas da Adhoc Wine e não se encontram à venda em supermercados. O menu junta peças tradicionais e de fusão.
Existem propostas de fusão, mas também mais tradicionais.

Miguel Teotónio licenciou-se em gestão, tirou uma pós graduação na mesma área e depois de trabalhar em multinacionais decidiu mudar de vida. Aos 31 anos, descobriu que queria abrir um restaurante. O gosto pela gastronomia japonesa fez com que apostasse num conceito ligado ao sushi, o Ōshiki, em Lisboa. Ao menu nipónico juntou uma carta de vinhos exclusivos, que não se encontram à venda em supermercados.

“Já tinha alguns amigos com restaurantes que me ajudaram e deram opiniões. Adoro o Japão, a cultura japonesa e agastronomia. Ainda não tive oportunidade de visitar o país, mas é uma viagem que quero fazer em breve”, explica à NiT Miguel Teotónio.

O conceito já estava pensado, mas depois de ver o espaço da Avenida de Paris, no Areeiro, tudo fez ainda mais sentido. “O local ajudou a cimentar esta ideia. Queria algo pequeno já que era a primeira aventura na área da restauração e queria ter mais controlo e qualidade em tudo o que é serviço.”

Na cozinha conta com o chef Edimar Queiroz. Trabalha há 20 anos com sushi e no Ōshiki apresenta várias propostas de fusão, mas também de sushi mais tradicional. É tudo servido à carta — sem buffets ou degustações —, mas com alguns combinados. No site é sempre publicada a mais recente, caso queira conhecer as propostas antes de ir até à zona do Areeiro.

Nas entradas pode optar entre o carpaccio de robalo (12€), o tataki de salmão (9,90€), o edamame salteado com óleo de sésamo e sal (3€), a sopa miso (2€) ou o atum com feijão verde e cenoura (8,50€).

Depois tem as sugestões de gunkans, como o de salmão e cebolinho (3,50€) ou o de alho francês e salmão (3,50€); os nigiris de peixe branco (4,50€) ou de atum (5€); e os sashimi (desde 4,50€). Não faltam também propostas de hot rolls, hossomaki, temaikis e uramki.

Tudo isto pode ser acompanhado por vinhos da Adhoc Wine. A marca é de um amigo de Miguel e dedica-se à produção e exportação de vinhos. No mercado nacional só encontra estas referências em restaurantes e hotéis selecionados. O Ōshiki é um dos espaços exclusivos onde estão disponíveis.

Entre os brancos, tintos e rosés, alguns estão disponíveis a copo, outros só em garrafa. Entre o Abraito, o Defacto, o Batik, o Corcovado e o Fundador, o ideal é aconselhar-se na altura do pedido para escolher a melhor sugestão para os pratos que irá pedir.

O Ōshiki tem poucas semanas de funcionamento. Por enquanto, ainda é cedo para pensar em mais espaços, mas Miguel não coloca de lado essa hipótese. Abrir numa altura de pandemia trouxe alguns desafios, mas o responsável está satisfeito com a sua decisão.

“Não me arrependo de ter aberto um restaurante num momento como este. Portugal precisa de mais pessoas que tragam estes desafios e que elevem o País e a cidade.”

O novo restaurante tem capacidade para 25 clientes no interior. Existe também uma esplanada com apenas quatro lugares. O menu pode ainda ser encontrado nas plataformas de delivery da Uber Eats e da Glovo.

Carregue na galeria para ficar a conhecer melhor o novo Ōshiki.

 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Av. de Paris 18 C, 1000-229 Lisboa
    1000-229 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Das: 12:00
  • Às: 15:30
  • Das: 19:00
  • Às: 22:30
  • Fecha segunda
PREÇO MÉDIO
Entre 20€ e 30€
TIPO DE COMIDA
Japonesa, Sushi

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT