restaurantes

Reserva e Aparece: o movimento que quer acabar com o “no show” em restaurantes

Chefs e sommeliers juntam-se para sensibilizar clientes com o objetivo de acabar com as reservas que não são cumpridas.
Se não conseguir aparecer o melhor é desmarcar.

O termo pode não ser conhecido por muitos, mas é bastante fácil de explicar. Na restauração, o “no-show” é usado para aquelas reservas que estão feitas, confirmadas, mas que acabam por não acontecer. Ou seja: o restaurante está a contar com aquela mesa preenchida que nunca acaba por ser ocupada. Isto traz perdas para os espaços e foi com o intuito de sensibilizar as pessoas para esse problema que nasceu o movimento Reserva e Aparece.

Chefs, sommeliers e empresários da restauração juntaram-se para incentivar os clientes a desmarcarem as mesas quando sabem que não vão conseguir estar presentes numa reserva que foi feita. É uma mesa perdida, que não está a ser ocupada por outras pessoas uma vez que supostamente vão aparecer outros clientes. No final do mês podem haver várias mesas perdidas, com custos para os projetos, que muitas vezes leva ao desperdício de alimentos já confecionados. 

Com base neste movimento foi criada uma hashtag #reservaeaparece e uma página de Instagram onde vários chefs e apoiantes vão partilhar algumas das suas preocupações e das consequências que têm com a situação. Por exemplo, André Lança Cordeiro, do restaurante Essencial, diz que “para um pequeno restaurante, quando 10 por cento das reservas não aparecem é problemático”. Já António Galapito, do Prado explica que “quando um cliente faz uma reserva num restaurante tem uma responsabilidade para com esse restaurante, com as pessoas que nele trabalham, com os fornecedores e com toda a cadeia.”

E acrescenta: “O cliente ao não comparecer está-lhes a faltar ao respeito e a promover baixas condições para um setor que por norma oferece muito pouca progressão de carreira e de futuro”.

Hugo Brito, do restaurante Boi Cavalo, vai mais longe nas consequências. “O ‘non-show’ é um roubo. E, neste momento, uma ameaça real à viabilidade dos restaurantes.

A partir da tarde desta segunda-feira, 18 de outubro, será partilhado um manifesto do Reserva e Aparece pelos vários chefs e sommeliers e empresários que aderiram.

“Precisamos da ajuda de todos, incluindo de quem diz que nos nos vem visitar. Mas não aparece. O ‘no-show’ é um flagelo que queremos erradicar com a ajuda dos novos clientes. Continuamos a assistir diariamente a pessoas que reservam no nossos restaurantes e não aparecem”, lê-se no documento.

“Os planos mudam, imprevistos acontecem. Mas, para nós, é fundamental que nos avisem  atempadamente, de modo a termos possibilidade de alterar a reserva”, continua.

Além de André Lança Cordeiro, António Galapito e Hugo Brito, Bruno Caseiro, do Cavalariça; Filipe Carvalho, do Fifty Seconds; João Sá, do Sála; Nuno Barros do 1300 Taberna; e Tiago Penão, do Kappo; partilham e assinam das ideias partilhadas no Reserva e Aparece.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT