Restaurantes

Sála by João Sá vence estrela Michelin: “É um restaurante pequenino, mas ambicioso”

Aos 12 anos, o chef já organizava eventos ligados à gastronomia na escola. Agora, cumpriu um dos seus sonhos de vida.
O chef de 37 anos foi distinguido com uma estrela.

Naquela que é uma das noites mais importantes para a gastronomia nacional, falamos da gala do Guia Michelin, claro, o Sála, projeto do chef João Sá, foi sem dúvida um dos grandes vencedores. O espaço recebeu a sua primeira estrela, durante a cerimónia que se realizou esta terça-feira, 27 de fevereiro, em Albufeira.

“É um restaurante independente e pequenino, mas ambicioso”, começa por dizer o chef à NiT, logo após receber a sua primeira estrela. João Sá recorda que, ainda no ano passado, perguntou à equipa se queria receber aquela distinção. Quando a resposta foi positiva, disse o que era preciso fazer: “Sermos felizes a fazê-lo, e sem stress, porque assim não faria sentido.”

O chef de 37 anos admite que a última vez que se sentiu assim tão nervoso foi quando a sua filha nasceu. “Portanto, agora tenho de sair um bocadinho, descansar, respirar fundo e ver o que vai acontecer”.

Nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, não vai poder passar pelo Sála, em Lisboa, para conhecer de perto o novo estrela Michelin de Portugal. Afinal, o restaurante vai estar fechado para que o chef possa “festejar” com a equipa. “Eles não estão aqui e têm de celebrar comigo”.

Depois, quando regressar para a cozinha, vai continuar a seguir o plano traçado ao pormenor com a equipa. Ou seja: “Sem obsessões e sem stress, porque não faz sentido ser assim”. Tratar bem os clientes também é, claro, uma prioridade.

A cozinha tem feito parte da vida de João Sá desde sempre. Aos 12 anos já organizava eventos ligados à gastronomia na escola. E apenas dois anos mais tarde entrou na Escola de Turismo do Estoril. Sempre foi o mais novo da turma e esse facto acompanhou-o, mais tarde, nas equipas dos restaurantes onde trabalhou.

Passou por vários restaurantes, tanto em Portugal como no estrangeiro. Trabalhou com chefs como Ljubomir Stanisic, Abraham Garcia e Jerónimo Ferreira, mas à medida que ia crescendo e evoluindo, sonhava em criar um conceito diferente. O chef queria abrir um espaço onde sentisse que estava realmente a cozinhar em casa.

A Sála abriu em outubro de 2018. Este foi o segundo restaurante a solo do chef, depois da estreia em 2009, com o G-Spot, em Sintra. João Sá, que descreve o restaurante como se fosse a sua própria sala de jantar, aposta em ingredientes ricos e frescos como os vegetais, que ocupam mais de metade da ementa. A outra parte tem, claro, peixe, marisco, e várias carnes. Há ainda um pão que é confecionado no espaço, usando uma farinha de moleiro que usa métodos artesanais.

“Não sirvo comida que eu próprio não comesse, nem bebida que eu não bebesse. Afinal, esta é a minha sala de jantar”, explica o chef natural de Lisboa. João Sá propõe uma cozinha viajante, mas daquelas que regressam sempre a casa, garante à NiT.

O cozinheiro aposta nos sabores tradicionais portugueses, combinados com alguns internacionais, com uma escala pela Ásia. Dentro dos menus de degustação, Horizonte à vista e À procura de novas texturas, encontramos pratos como o Cuscos, uma coentrada, de lingueirão, que sabe “a mar com detalhes cítricos”.

O rigor é uma constante no seu trabalho, assim como as influências de diferentes países. “Sou um filho de angolanos nascido em Portugal. Lisboa é uma mistura cultural, uma mistura que tem mil anos de história. A minha cozinha também é resultado disso”.

A sala, com 32 lugares sentados e mais quatro ao balcão, bem como todo o restaurante, fica num edifício da época pombalina que foi recuperado pelo atelier de arquitetura ForStudio. Os responsáveis pelo projeto tentaram ao máximo manter o traço daquela época, principalmente na sala, e apostaram na luz, nas madeiras claras e também em alguns apontamentos em latão escovado que liga com o azul da decoração.

Conheça a nova lista de restaurantes com estrela Michelin neste artigo da NiT.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua dos Bacalhoeiros, nº 103
    1100-068 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Todos os dias das: 12:00
  • às: 15:00
  • e das: 19:00
  • às: 00:00
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Portuguesa

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT