Restaurantes

Sem McDonald’s, Rússia vira o M ao contrário e cria cópia só com produtos nacionais

Putin está irritado e quer castigar as marcas ocidentais. O primeiro passo: criar hambúrgueres iguais aos americanos.
A guerra também se faz no prato

Pão russo. Carne russa. Picles russos. No painel da entrada, o famoso M dos arcos dourados inverteu-se e aparenta agora ser um B. Nas embalagens, lê-se agora Дя́дя Ва́ня, Tio Vanya para quem ainda não completou o curso de cirílico.

É esta a ideia dos russos para contornarem o encerramento temporário das mais de 800 lojas da cadeia norte-americana de fast food. Nos planos está a criação de uma alternativa cem por cento russa com o que aparenta ser uma desavergonhada cópia do logótipo icónico da McDonald’s.

Nos últimos dias, deu entrada nos serviços do governo, um pedido de registo da marca Tio Vanya. Nesse mesmo pedido está apresentado o possível logótipo que é, nada mais nada menos do que o famoso M estilizado, mas rodado a 45 graus, para formar um B. Esse B simboliza o V de Vanya — que no alfabeto cirílico se assemelha ao nosso B.

Porquê Tio Vanya? Curiosamente, o nome remete para uma peça do dramaturgo russo Anton Chekhov, publicada em 1898 e levada ao palco pela primeira vez em 1899, precisamente em Moscovo.

Este poderá ser o primeiro passo da resposta russa aos boicotes das grandes marcas ocidentais, que têm encerrado os seus negócios no país, como forma de protesto pela invasão da Ucrânia. Foi o próprio Sergey Sobyanin, presidente da câmara de Moscovo quem afirmou que os 250 restaurantes da cadeia americana na cidade poderiam ser ocupados por uma cadeia semelhante, mas criada e gerida por russos.

No que toca aos eventuais direitos da imagem de marca da McDonald’s, será duvidoso que as autoridades e tribunais russos deem qualquer seguimento a uma queixa da multinacional. Para Sobyanin, seria até preferível ver-se livre dos americanos, para que a nova cadeia possa apostar nos ingredientes russos. E deixou uma promessa de apoio financeiro a cadeias de fast food nacionais.

O desejo teve também ecos no parlamento russo, com alguns deputados a reiterarem a mesma vontade de ver a Tio Vanya a tomar o lugar da McDonald’s. “A ocupação de marcas registadas acaba de ter início na Rússia”, comentou nas redes sociais Josh Gerben, um conhecido advogado que foi dos primeiros a revelar a intenção russa.

Segundo o “New York Post”, o governo russo estará também em processo de retirar todas as proteções de patentes a empresas que tenham sido identificadas como hostis à Rússia. Vladimir Putin já mostrou que tem coragem para avançar, isto depois de ter recusado o pedido de devolução das aeronaves emprestadas às companhias russas, por parte das empresas ocidentais.

Putin terá decidido resgatar as centenas de aviões, como forma de marcar uma posição contra as sanções e boicotes. A nova frente de batalha na fast food e nas patentes é apenas mais uma das poucas formas que o governo russo tem de ripostar.

Entretanto, a McDonald’s ainda não comentou oficialmente a tentativa de copiar a sua imagem de marca.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT