Restaurantes

Tosco Fosco: os produtos congelados (e a granel) brilham na nova mercearia de Lisboa

O negócio familiar quer provar que é possível ter um consumo responsável e que há várias formas de poupar dinheiro e o ambiente.
Fotografia: Jasmin Sessler no Unsplash.

António (47 anos), Nuno (44 anos) e Renato (42 anos) Lourenço são irmãos, mas há muito mais a uni-los do que os laços familiares. Desde cedo, além das brincadeiras típicas da idade, o trio dividia preocupações sobre a sustentabilidade dos mares e a redução do desperdício. Não surpreende, portanto, que quando criaram, em 2021, a Tosco Fosco, “uma mercearia moderna”, tenham procurado que espelhasse estes cuidados.

O projeto, contudo, começou a ganhar forma muito antes, em 1986 e 1988, para sermos exatos, quando os pais abriram duas mercearias: a primeira em Vale de Cambra, Sintra; e a segunda na Graça, Lisboa, que fizeram nascer o gosto pela área. Quando precisaram de ficar responsáveis pelo negócio, logo nos anos 90, por problemas de saúde dos progenitores, o interesse só aumentou. Trataram então de mudar o conceito. “Passámos para loja de congelados e assim temos vindo a crescer ao longo dos anos”, dizem em entrevista à NiT.

A Tosco Fosco surgiu pela “vontade de reinventar o próprio negócio e vem dar continuidade à mercearia, agora aliada à sustentabilidade”. “Assenta na ideia de que é possível termos um consumo responsável e que existem várias formas de poupar dinheiro e o ambiente.” O nome original tem uma explicação simples. “Representa a nossa essência”, clarificam. “Somos ‘Toscos’ porque procuramos sempre que possível apresentar produtos naturais e não processados e somos ‘Foscos’ porque acreditamos que a ultracongelação é uma forma muito eficaz de redução do desperdício a vários níveis.”

Depois de um projeto experimental em Benfica, regressam à Graça que os viu crescer. “A loja de Benfica era uma loja piloto. Tínhamos um conjunto de ideias que pretendíamos pôr em prática, mas cedo nos apercebemos de que o espaço era insuficiente. A loja da Graça já era nossa e estava previsto abrir neste local, mal fosse possível. Já somos conhecidos do bairro há muitos anos e temos um carinho especial pelos nossos clientes, que nos fazem sentir em casa”, explicam. Abriram a 26 de julho.

Se passar por lá, vai encontrar vários “alimentos congelados como o peixe, a carne e produtos hortícolas, que vem mostrar que a ultracongelação nos permite aumentar a longevidade dos produtos, sem retirar a qualidade e propriedades dos mesmos. A introdução do conceito a granel nestes artigos permite um consumo mais racional em função do que iremos consumir e, na maioria, dos casos, ainda nos permite reduzir a utilização do plástico”.

“Para promover uma alimentação saudável e diversificada”, ao mesmo tempo que tentam “evitar a sobre-exploração dos recursos”, disponibilizam ainda “uma grande oferta de frutas e legumes, de frutos secos a granel, de especiarias e muitos outros alimentos naturais”. Têm também uma área de suplementos alimentares e um espaço aberto onde trabalham a fruta, na qual o cliente a encontra lavada e preparada, já pronta a comer, bem como sumos naturais de fruta e legumes.

No que diz respeito aos produtos a granel em específico, que se espalham por toda a loja, têm mais de 100 referências. Não faltam leguminosas, como lentilhas, amendoins e soja; frutos secos, que vão dos pistáchios às amêndoas e tâmaras medjool; e especiarias como curcuma, pimentas e caril.

Aqui, o conceito a granel, mais usual na venda de fruta e legumes, estende-se também à área dos congelados, onde temos disponíveis 15 variedades hortícolas (espargos, abóbora e favas) e 15 referências de salgados (chamuças e crepes de legumes e pastéis de bacalhau feitos à mão).

Estes produtos vêm todos de fornecedores nacionais. Ressalvam, contudo, que há alguns que não são produzidos em Portugal, pela impossibilidade de o fazer, como é o caso do caju, das tâmaras medjool e de algumas especiarias.

O que distingue a Tosco Fosco de outros projetos do género é a procura em “trazer o equilíbrio entre a necessidade dos consumos e o impacto que os mesmos têm sobre o planeta. Todas as nossas escolhas são determinantes e nós queremos seguir um caminho que apresente ao consumidor formas mais sustentáveis de comercializarmos os bens alimentares”, afirmam os responsáveis.

Para isso, pretendem “ensinar o consumidor a regenerar os produtos congelados para que usufruam das vantagens da ultracongelação” e “incutir novas formas de consumo incentivando o cliente à compra a granel no seu próprio recipiente”, por exemplo.

Acrescentam: “Através do nosso conhecimento em pescado queremos apresentar novas espécies de peixes para que o consumidor possa enriquecer a sua alimentação. Ao mesmo tempo, contribuímos para a sustentabilidade dos oceanos que, neste momento, está em causa, por consumirmos sempre as mesmas espécies quando temos um mar tão rico”.

De modo a alcançar estes objetivos, adiantam ainda que pretendem ter dinâmicas que visam sensibilizar quem os visita para estes temas e, consequentemente, para as suas futuras escolhas. Carregue na galeria para ver como o espaço se organiza.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Largo da Graça, 105.
    1170-165 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Segunda-feira a sábado das 9h às 20h, domingo das 9h às 18h.
PREÇO MÉDIO
Entre 10€ e 20€
TIPO DE COMIDA
Mercearia

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT