restaurantes

Tudo o que vai precisar para entrar nos restaurantes a partir de 1 de dezembro

As regras voltam a mudar esta quarta-feira. Os certificados e as máscaras, por exemplo, são novamente obrigatórios.
As máscaras passam a ser obrigatórias nos restaurantes.

A partir da meia-noite desta quarta-feira, 1 de dezembro, Portugal volta a entrar oficialmente em situação de calamidade. Por isso mesmo, a entrada em restaurantes, bares e discotecas passa a ser feita de forma diferente. Basicamente, regressam as medidas que tivemos de respeitar há alguns meses — se bem que, desta vez, existem algumas diferenças.

As máscaras são novamente obrigatórias no interior de espaços fechados. Ou seja, assim que entra num restaurante — quer seja para pagar, sentar-se na mesa ou ir à casa de banho — terá de tapar a boca e o nariz. O certificado em restaurantes foi uma realidade durante algum tempo apenas durante o fim semana. Nesta situação de calamidade, que começa a 1 de dezembro, a apresentação passa a ser exigida ao longo de toda a semana.

Por outro lado, se estiver apenas na esplanada não precisa do tal certificado. Existem outras exceções, como entrar no espaço para pagar a conta ou ir à casa de banho. A resolução do Conselho de Ministros, publicada na sexta-feira, 27 de dezembro, não refere cafés e pastelarias. Por isso, nestes casos, as regras não são aplicadas.

Já nos bares e nas discotecas volta mais uma vez a ser obrigatório o uso de máscara. A diferença, desta vez, é que o certificado de vacinação não permite a entrada. Terá de apresentar um teste PCR, de antigénio ou de recuperação.

Segundo a resolução do Conselho de Ministros, estas medidas vão prolongar-se até 20 de março de 2022, dia em que termina a situação de calamidade no nosso País.

As regras para entrar nos restaurantes

— utilização obrigatória de máscara no interior;

— apresentação de certificado de vacinação completo ou um teste negativo;

— os testes rápidos feitos à porta dos restaurantes não serão aceites;

— apenas são válidos os testes PCR ou antigénio feitos na farmácia ou em laboratório;

— quem for servido numa esplanada não precisa de mostrar certificado ou fazer qualquer teste;

— pode também entrar mesmo sem certificado para pagar ou ir à casa de banho;

— todas estas medidas aplicam-se em qualquer dia da semana;

— cafés e pastelarias ficam de fora destas medidas (sendo apenas obrigatória a utilização de máscara no interior).

E para entrar nos bares e nas discotecas?

— apresentação de certificado de teste PCR, antigénio ou de recuperação (com mais de 11 e menos de 180 dias);

— pode ser também apresentado um teste com resultado negativo feito em laboratório ou farmácia;

— tal como nos restaurantes, os testes rápidos feitos à porta também não são válidos;

— no interior não é obrigatório o uso de máscara, apenas para funcionários;

— as medidas aplicam-se em qualquer dia da semana;

— de 2 a 9 de janeiro, bares e discotecas vão estar encerrados.

Notícia atualizada depois da nova orientação da DGS sobre a dispensa de uso obrigatório de máscara no interior de bares e discotecas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT