Beleza

A gigante da cosmética Revlon declara falência

Lançada há 90 anos, a marca tornou-se um nome de peso na indústria. Os problemas de abastecimento são um dos motivos apontados.
As marcas de celebridades têm sido um obstáculo.

A Revlon é uma das marcas de beleza mais conhecidas. Desde que foi lançada, em 1932, alargou a oferta de maquilhagem a produtos para o cabelo e para o rosto. Porém, a empresa encontra-se bastante endividada e apresentou esta quinta-feira, dia 16 de maio, um pedido de proteção para enfrentar a situação de falência.

Com o surgimento de marcas de celebridades, como a Kylie Cosmetics, da socialite Kylie Jenner, ou a Fenty Beauty, de Rihanna, os produtos da empresa norte-americana foram perdendo o seu espaço em supermercados, lojas e boutiques.

Em simultâneo, tem enfrentado vários problemas na cadeia de abastecimento, acentuadas pela pandemia de Covid-19. A situação epidemiológica levou à escassez de produtos e de mão de obra, e ao aumento dos custos das matérias primas, com pedido de pagamentos adiantados pelos fornecedores. Não obstante, a inflação foi o principal motivo apresentado para a declaração de falência.     

“Por exemplo, um batom Revlon requer de 35 a 40 matérias-primas e componentes, cada um dos quais é fundamental para fazer chegar o produto ao mercado”, explicou Robert Caruso, diretor de reestruturação da empresa. “Com a escassez de ingredientes necessários a todo o portefólio, a concorrência por qualquer material disponível é acentuada.”

Após o pedido de proteção, Debra Perelman, diretora-executiva da marca, disse em comunicado que a ação “permitirá que a Revlon disponibilize aos consumidores os produtos icónicos que fabricamos há décadas, ao mesmo tempo que nos fornece um caminho mais claro para nosso crescimento futuro.” No entanto, os problemas financeiros da gigante da cosmética dificilmente serão resolvidos a curto prazo, de acordo com analistas.

A queda nas vendas da Revlon tem sido notória. Em 2021, por exemplo, caíram cerca de 22 por cento em relação aos números de 2017.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT