Beleza

A primeira marca portuguesa a criar uma caixa eco-friendly para o período menstrual

A Clementine é um serviço de subscrição mensal com pensos e tampões feitos com componentes naturais e biodegradáveis.
As caixinhas discretas da marca.

Aditivos químicos, corantes, lixívia de cloro, pesticidas, latex, formaldeído e fibras sintéticas. Em que é que pensa depois de ler uma lista assustadora de ingredientes tóxicos como a que acabámos de descrever? Se a resposta improvável for tampões e pensos higiénicos, então acabou de acertar. São poucas as pessoas com uma verdadeira noção do impacto negativo que estes produtos podem ter para o ambiente e para o corpo de quem os usa.

Isto, no entanto, não se aplica a Marta Cardoso, de 47 anos. A criadora da Clementine conta à NiT que sempre teve uma consciência ambiental grande e que as escolhas sustentáveis já faziam parte do seu dia a dia há muitos anos, mas nos últimos tempos apercebeu-se de que isso já não era suficiente. “Queria ter uma parte ativa maior e amplificar esta consciência ambiental lançando no mercado algo que ajudasse as mulheres, também elas, a reduzirem o seu impacto ambiental”, explica. 

Foi assim que, no dia 15 de outubro, lançou no mercado a Clementine, a primeira marca portuguesa com uma abordagem eco-friendly sobre a menstruação, que desenvolveu alternativas sustentáveis e feitas à medida das necessidades de cada cliente. O que oferece é um serviço de subscrição entregue em casa todos os meses, com produtos para a menstruação livres de todos aqueles componentes nocivos.

Todas as propostas são entre 95 (no caso dos pensos) até 100 por cento (no caso dos tampões, mesmo os de aplicador) biodegradáveis, o que faz delas as opções de pensos e tampões disponíveis no nosso mercado mais amigas da saúde da mulher e do planeta. 

Marta Cardoso licenciou-se em Economia, pela Faculdade de Economia do Porto, mas é de Lisboa. Depois de trabalhar alguns anos como marketing manager numa multinacional, dedicou-se ao seu “full time job” como mãe de uma menina e dois rapazes até decidir lançar a Clementine. “Sendo mulher e mãe de uma rapariga quase em idade menstrual, fez -me todo o sentido fazer algo para tornar os períodos das mulheres mais verdes , com produtos sem químicos e amigos do ambiente”, revela.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Clementine Take Good Care (@clementine.takegoodcare) a

Quando percebeu que os produtos de higiene feminina estavam cheios de plástico, não só na sua composição mas também nas embalagens, lançou-se num projeto para quebrar os maus hábitos comuns da indústria, entre os quais destaca o uso de lixívia para aclarar o algodão e outros químicos que podem ser prejudiciais à saúde das utilizadoras.

A Period Box funciona numa lógica de personalização adaptada às necessidades (e ao fluxo) de cada  mulher. A caixa pode incluir diferentes pensos e tampões, com níveis de absorção distintos e adaptar-se a uma pessoa ou à família inteira. Sendo customizáveis, os produtos e quantidades podem ser ajustados ao longo tempo, até porque “o fluxo menstrual muda ao longo da vida da mulher”, como relembra a fundadora da marca.

Para tornar toda a experiência mais confortável, a caixa tem uma “embalagem discreta”, feita de propósito para que não se perceba o conteúdo. Assim, até pode encomendá-la para ser entregue no trabalho sem que os colegas se apercebam. Entre as opções para incluir na Period Box, há o Everyday Cutie (pensinhos diários); Super-duper Queen (pensos higiénicos normais); Night Diva (pensos de noite) e Free Beauty (tampões com e sem aplicador).

De uma forma mais concreta, estas alternativas de pensos amigos do ambiente são compostas por amido de milho e fibra de bambu. Para assegurar a absorção, recorrem à polpa de celulose no núcleo, que é ainda mais absorvente do que os pensos de algodão, e o invólucro é feito com uma película compostável de amido.

Já no caso dos tampões, o material é desenvolvido totalmente em algodão orgânico certificado, desde o núcleo principal ao véu e cordão. Ou seja, algodão puro e nada mais. Os aplicadores são feitos de papel. Não têm fibras sintéticas, aditivos químicos, fragrâncias, corantes, lixívias de cloro, produtos OGM, pesticidas, toxinas, látex, formaldeído nem nenhum daqueles ingredientes assustadores de que lhe falámos no início deste texto.

Todas as opções estão disponíveis no site da Clementine, com preços médios mensais a rondar os 7€.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Clementine Take Good Care (@clementine.takegoodcare) a

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT