Beleza

O truque simples para saber em segundos se o cabelo curto lhe fica bem

Com um pequeno gesto ficará a perceber se para o seu caso concreto uma opção curta será razoável. O estilo é outra escolha.

A primavera é uma daquelas alturas do ano que convida a um corte de cabelo. Seja porque um corte comprido faz mais calor no verão, porque as pontas ficaram estragadas no inverno e queremos melhorar a saúde do cabelo ou simplesmente para mudar de look. E na altura de pensar num novo corte, que atire a primeira pedra quem nunca pensou em aventurar-se num estilo mais curto. A grande questão aqui é saber quão curto pode ficar para a deixar a sentir-se bem com a escolha.

Entre as tendências para este ano está o intemporal bob, celebrizado por Coco Chanel, as franjas compridas e o controverso mullet, mas também os cabelos com volume, por exemplo. Apesar disso, há sempre quem goste de ir ainda mais longe e apostar em cortes bastante mais curtos.

Nesta mudança, uma das grandes dúvidas que a maioria das mulheres tem é se o cabelo curto lhes ficará bem. Aqui há sempre aquela ideia de tentar experimentar o corte através aplicações ou filtros ou até de tentar adequá-lo ao formato do rosto. Isto não está errado, mas poderá não ser assim tão fácil, até porque nem sempre se identifica claramente qual é o formato do nosso rosto.

Para ajudar a desfazer a dúvida, um dos cabeleireiros responsáveis pela empresa internacional John Frieda, Giles Robinson, explicou ao “Daily Mail” que existe uma regra muito simples, chamada regra dos 5,7 centímetros.

“John estudou os rostos e viu que o ângulo do osso da mandíbula determinava se alguém ficaria melhor com cabelo curto ou comprido. Ele descobriu uma medida exata e fácil de entender que indica claramente se um rosto é adequado para cabelos longos ou curtos”, explicou.

Para perceber melhor isto, basta colocar uma régua na vertical encostando o zero ao fim da orelha. Depois, coloque um lápis junto ao queixo, onde termina o rosto, e verifique a medida. Se estiver abaixo dos 5,7 centímetros, é mais provável que o cabelo curto lhe fique bem.

Isto tem que ver com o facto de haver muitas medidas proporcionais no nosso rosto. Por curiosidade, se reparar bem, a medida da sua orelha é a mesma que vai da ponta do nariz ao topo dos olhos, da mesma forma que, por exemplo,  o espaço entre um olho e o outro é do mesmo tamanho que o olho em si.

Claro que esta regra não é totalmente infalível, poderá gostar ou não de ver-se com cabelo curto independentemente de estar acima ou abaixo deste valor. É apenas um indicativo estudado pelo famoso especialista.

Depois das medidas, a escolha

Ter o cabelo curto tem algumas vantagens conhecidas como o facto de demorar menos tempo a secar e a pentear — o que pode ser ótimo para quem anda sempre com os minutos contados —, facilita na hora de brincar com cores de cabelo, maquilhagem mais arrojada ou acessórios maiores, deixa o pescoço mais à mostra, costuma ser sinal de jovialidade e elegância e também é mais fresco para o verão. Ainda assim, há outras coisas que deve ter em conta na hora de escolher o corte exato.

Depois de perceber se o cabelo curto vai favorecer a sua imagem e decidir avançar, precisará também de ter em conta características como o formato de rosto ou o tipo de cabelo para decidir o corte em concreto. Os pixie são um clássico e os corte bola uma tendência para as mais ousadas, mas há inúmeras variantes para as quais o melhor será mesmo pedir o aconselhamento do seu especialista.

Tudo depende de questões como se tem ou não volume natural no cabelo e se quer potenciá-lo ou domá-lo, por exemplo, se tem alguns redemoinhos naturais que possam comprometer o corte que idealizou ou até a sua personalidade. Ah, e se pensa que os cortes curtos só trazem vantagens, convém já ter ideia que, além de não serem tão versáteis na hora de criar diferentes penteados, exigem uma manutenção mais regular uma vez que perdem a forma mais rapidamente do que os cortes longos.

Se mesmo depois de tudo isto ficou com dúvidas se deve ou não apostar num corte curto, há dois truques que também pode usar. Por um lado, pode comprar uma cabeleira ou ir a uma loja especializada que permita experimentar e assim perceber com maior exatidão se gosta ou não de ver-se com esse estilo. Outra opção é começar pelo bob, ligeiramente mais comprido ou abaixo do queixo, e depois ir cortando progressivamente até à medida em que se sentir mais confortável.

Para recordar as tendências de cabelo para esta estação carregue na galeria.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT