Beleza

Estíbaliz venceu o cancro da mama e criou uma inspiradora marca de cosmética natural

Durante o tratamento, Esti, como é conhecida, aproveitou para rever prioridades e decidiu mudar de vida.
Tem 44 anos.

Quando, em 2021, foi diagnosticada com cancro da mama, Estíbaliz Vicario não imaginou que este seria o início de uma mudança radical na sua vida. Contudo, depois de começar o tratamento para a doença e se ver obrigada, por não estar cognitiva e fisicamente capaz, a abrandar o ritmo de trabalho — durante 15 anos exerceu o cargo de brand manager no departamento de marketing da Licor Beirão —, deu por si com todo o tempo do mundo para “rever prioridades, analisar novas necessidades, ler, escrever e meditar”, começa por contar à NiT.

Todo este processo de autodescoberta, vivido entre oito sessões de quimioterapia que eliminaram o cancro, uma cirurgia e três semanas de radioterapia, fez com que Esti, como é conhecida por todos, sentisse que precisava de algo novo para poder “viver mais relaxada” e “ter mais tempo para a família”. Foi então que, em julho do ano passado, seis meses após o início do tratamento, decidiu inscrever-se num curso online que lhe ensinou a formular cosméticos orgânicos. Uma vez graduada como “Organic Skincare Formulator”, lançar a própria marca pareceu ser o caminho natural a seguir.

Apesar de ser consumidora deste tipo de produtos há vários anos, nunca viu a área como uma possibilidade de negócio até que a doença a levou a olhar de outra forma para todos os artigos sintéticos que temos à nossa volta. Com a nova perspetiva chegou uma questão impossível de ignorar: “Se tanto nos preocupamos em comer natural, orgânico, evitando os alimentos trans, porque não fazemos o mesmo com a maneira como alimentamos a nossa pele, o maior órgão do corpo?”

Com o conhecimento adquirido em múltiplas aulas, experiências e exames, desenvolveu as fórmulas que serviriam de base ao projeto e procurou um laboratório onde as pudesse produzir de maneira segura e estável. A apoiá-la teve sempre a família, sobretudo o marido e as duas filhas, que descreve como os seus “maiores fãs”, “essenciais” para ter a coragem necessária para embarcar nesta aventura.

Assim nasceu a LUR Natural Skinfood, marca unissexo, vegan, eco-friendly e não testada em animais “que quer mudar a maneira como olhamos para a cosmética”. Oficialmente, inaugurou a 29 de maio, com a linha well-aging, “dirigida para peles mais maduras, a partir dos 35 anos”. “Não se chama antienvelhecimento porque esse não é objetivo. Acho um pouco irrealista tentar para o tempo, mas considero possível controlar, até certo ponto, o modo como envelhecemos.”

O nome do projeto também é especial. Vicario explica que, no idioma basco, que se fala em Bilbau, onde nasceu antes de se mudar para Portugal aos 21 anos, ” lur significa terra”. A escolha desta palavra representa, assim, um regresso às suas origens e à sua “essência enquanto indivíduo e como ser humano, uma vez que viemos da terra e para lá voltamos”, conclui.

Esti, as filhas, o marido e a cadela Nina.

Os produtos

A gama é composta por quatro produtos: óleo de limpeza (100 ml, 19,5€), tónico calmante (100 ml, 19,5€), sérum (30 ml, 34,5€) e creme facial (40 ml, 29,5€). O primeiro, com óleos de uva, alperce, argan, avelã e romã, por exemplo, como se pode ler no site da insígnia, “dissolve facilmente a maquilhagem e elimina as impurezas, deixando a pele macia, hidratada e renovada”.

Já o tónico calmante, com açaí, lúpulo, aloé vera e células estaminais de uva, “remove impurezas e células mortas, hidrata, tonifica, equilibra o pH, atua contra o envelhecimento prematuro, restaura a barreira cutânea, acalma a pele irritada e avermelhada, proporciona elasticidade, protege do stress oxidativo, reduz o tamanho dos poros e matifica a pele”.

Depois de o aplicar, a pele está pronta para o sérum “de rápida absorção que combate a secura e melhora a elasticidade cutânea, proporcionando suavidade sem a sensação de oleosidade”. Ingredientes como “o açaí e o goji protegem as células dos danos oxidativos e reparam as fibras de colagénio danificadas para aumentar a luminosidade facial”. Os óleos vegetais têm “propriedades antienvelhecimento, regenerativas e nutritivas que promovem a hidratação da pele, a regeneração celular e a redução de rugas e imperfeições”.

A rotina termina com o creme, cuja “combinação de óleos (argan, romã, damasco, jojoba, amêndoa, manteiga de manga), extratos de plantas (açaí, goji) e princípios ativos”, “combate o processo de envelhecimento celular e oxidativo e reconstrói a estrutura da pele”. Pode adquirir os produtos de forma individual ou através do pack especial com os quatro, que custa 79,9€.

Os artigos chegam até si em embalagens 100 por cento recicláveis. “Usamos vidro âmbar porque protege melhor os produtos dos raios solares e porque o vidro é infinitamente reciclável e a cartolina do packaging é produzida com base em pasta crua, não branqueada e produzida em Portugal”.

Ainda não há data para o lançamento, mas Estíbaliz Vicario adianta que já está a preparar uma nova linha, igualmente natural e vegan, mas para peles jovens e adolescentes.

Carregue na galeria, veja os produtos que compõem a gama well-aging e descubra como os usar.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT