Beleza

O ácido hialurónico deve estar na lista de ingredientes do seu creme — saiba porquê

A substância é formada naturalmente pelo corpo humano. É também um composto indispensável aos cremes anti-envelhecimento.
Primeira viagem de táxi aéreo (EDU)

Se costuma estar atenta aos rótulos dos cosméticos, é possível que já se tenha cruzado com um ingrediente que se tornou incontornável na indústria da beleza. Não tem o nome mais atrativo de sempre, mas não há dúvidas: o ácido hialurónico é (muito) benéfico para os cuidados do rosto — e não só.

Este composto hidratante existe naturalmente e de forma concentrada no corpo humano. “É uma substância que se encontra em grande quantidade na matriz extracelular da pele, ou seja, o que está à volta das células”, explica a dermatologista Manuela Cochito, à NIT. “Apresenta uma carga negativa, então tem capacidade para atração da água, daí ser tão importante para garantir uma boa elasticidade e saúde da pele”. Cada grama de ácido hialurónico consegue produzir até seis litros de água.

Com o avançar da idade, a sua produção no organismo começa a diminuir. Verifica-se então um envelhecimento das células e uma redução da elasticidade da pele. Manuela Cochito esclarece o fenómeno: “É uma substância fundamental para a pele ter um aspeto jovem, que não está enrugado ou machucado. Podemos pensar numa coisa que está ressequida e que, quando se molha, fica humedecida. É exatamente o mesmo com a pele”.

Na área da dermocosmética, as propriedades do ácido hialurónico são bem conhecidas. É utilizado em cremes hidratantes, máscaras para o rosto, séruns e até protetores solares — graças à sua produção em laboratório a partir da fermentação de substratos vegetais realizada por bactérias geneticamente modificadas.

“Temos que distinguir o ácido hialurónico colocado topicamente do que é injetado”, clarifica a dermatologista. “O que é aplicado através de cremes não passa da epiderme e é tem uma componente de hidratação. Puxa as moléculas de água e hidrata, fazendo com que as camadas superficiais da pele consigam reter os líquidos”. É este processo que, sem necessidade de recorrer a injeções, ajuda a preencher as rugas e a dar um novo aspeto à pele.

O seu uso em cremes não tem contraindicações. O uso da substância só se torna prejudicial quando a aplicação injetável é feita por alguém com pouca experiência — como por vezes acontece em casos de preenchimento com ácido hialurónico.

Além dos cremes, deste ingrediente também já chegou aos produtos de cuidado com o cabelo ou específicos para os lábios. Carregue na galeria para conhecer alguns.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT