Beleza

O cabelo grunge dos anos 90 não nos sai da cabeça — e ajuda a rejuvenescer o rosto

A tendência do no-haircut cut implica uma mudança discreta, mas que renova a aparência. O melhor? Requer muito pouca manutenção.
Parece que acabou de sair da cama, mas com muito estilo.

Um dos fenómenos mais populares no mundo da beleza é o look de maquilhagem natural. O truque valoriza o rosto, como se não existisse qualquer esforço (ou produto) envolvido, e a sua influência já se expandiu para o cabelo. Acontece que uma das tendências capilares da estação, designada no-haircut haircut, recupera a estética grunge através de um corte que aparenta ser effortless e que se traduz num aspeto mais jovem e descontraído.

As idas ao cabeleireiro são frequentemente condicionadas pelo receio em relação ao comprimento dos fios. Muitas vezes, o problema está apenas na forma como está estilizado. Este estilo surge para quem não quer abdicar dos cabelos longos, mas pode beneficiar de lhes conferir mais movimento. O principal objetivo é tornar a cabeleira mais dinâmica.

“A tendência é inspirada nos anos 90 e não só é discreta, como requer pouca manutenção”, conta à NiT Olga Hilário, diretora de arte do salão Slash. O resultado é um cabelo que parece que não exigiu trabalho, seja por parte do profissional ou da cliente. “O corte permite manter o tamanho já existente, mas cria um efeito de moldura no rosto através do escadeado interno e da texturização”.

Para muitas pessoas, a ideia de ir a um salão e sair de lá com um look praticamente igual ao anterior pode soar bizarra. No entanto, “a motivação é ter o cabelo saudável e com um corte equilibrado. Os fios não crescem todos ao mesmo ritmo e, com o tempo, ficam sem forma”. É por isso que todos os cortes, mesmo os de baixa manutenção, devem ser retocados de três em três meses.

Manter o comprimento não significa que a cabeleira não apresente diferenças, são apenas mais subtis. Para a diretora de arte do Slash, “são mais difíceis de executar, porque é necessária muita sensibilidade visual para criar um resultado que funcione para várias texturas de cabelo”.

Optar por este tipo de corte não implica ter de adotar o estilo grunge, apesar do penteado original ser inspirado nessa era. A estética dos anos 90 regressou em peso no início do ano, com um visual mais duro e sujo, e parte desse comeback nostálgico ainda está bem presente. E tem inúmeras vantagens.

@thehairbros

The 90s no Haircut, Haircut. #haircut #thehairbros #fy #fyp #viral @thehairbros

♬ Love You So – The King Khan & BBQ Show

“O cabelo é uma extensão da nossa autoestima e isso é influenciado pelo nosso lifestyle. Para quem não tem muito tempo de manhã, seja porque tem filhos ou quer ir ao ginásio, o corte funciona na perfeição porque não precisa de styling”, acrescenta. “E é sempre personalizado, porque o framing é adaptado ao rosto de cada pessoa para lhe assentar bem.”

Como evita linhas retas e foge de um escadeado demasiado marcado, poupa no trabalho de manutenção. Ainda assim, pode contar com produtos que ajudem a elevar o penteado, tal como o spray de sal marinho da Revuele, para quem tem o cabelo fino, ou o creme hidratante Leave-in da Be Natural, se for mais volumoso.

Muitas modelos famosas, como Kate Moss, apreciam a tendência por permitir dar vida ao cabelo sem comprometer o comprimento dos fios. É o look perfeito para quem procura a vibe, como descreve Olga “I woke up like this” — tal como diz Beyoncé no seu hit “Flawless”.

Ao contrário de muitos outros cortes, que só atingem o seu potencial algumas semanas depois, com este estilo o efeito é imediato. Antes mesmo de se levantar da cadeira, poderá apreciar plenamente o resultado esperado: “Assenta logo bem porque não existem linhas pesadas, o que faz com que o corte seja mais fluido”, acrescenta a profissional.

Carregue na galeria para ver exemplos de como este corte de cabelo grunge já foi — e continua a ser — adotado por várias mulheres.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT