Beleza

O penteado prático para evitar o frizz nas idas à praia (antes e depois dos mergulhos)

É a solução ideal para quem não consegue manter o controlo dos fios. É fácil de fazer e tem um efeito rejuvenescedor.
Ciara a dar o rosto pelo estilo.

Entre mergulhos e banhos de sol, é comum esquecermo-nos que as idas à praia não propriamente benéficas para os cabelos. Além da exposição extrema ao sol que deixa os fios mais finos, a água salgada também pode fazer estragos, deixando-o mais desidratado e aumentando o frizz. A certa altura, já perdemos todo o controlo sobre a cabeleira.

Todos os anos surgem novas sugestões de penteados para usar nos areais, das famosas ondas de sereia ao beach bob. Acontece que, por mais estilo que tenham, nem sempre são versáteis o suficiente para resultarem tanto em cabelos secos como molhados.

É por essa razão que, este ano, as mulheres estão a apostar numa nova solução. O cabelo apanhado com ondas despenteadas destaca-se por ser naturalmente imperfeito. Com as suas mechas levantadas em cima, é uma opção descontraída que deixa pouca margem para erros durante o verão.

“Nesta altura, já há muitas clientes a passar pelo salão para experimentarem o estilo. Até para os casamentos estão a pedir”, explica à NiT o hairstylist Karlos Wendell. “Na realidade, é porque muitas celebridades estão a usar. Anitta, Shakira, Ciara e Luísa Sonza, por exemplo.”

Se conseguir deixar o pente de lado e fazer tudo com as mãos, o efeito rejuvenescedor é maior. “As ondas e o aspeto despenteado ajudam a suavizar os traços do rosto, diminuindo a aparência de linhas finas e rugas. Penteados mais soltos criam um enquadramento que não acentua imperfeições.”

Uma das vantagens para o usar na praia é que pode aproveitar a textura natural do cabelo com a água salgada, criando um visual despojado. Basta usar um spray texturizador de sal marinho para realçar ainda mais as ondas e reduzir o temido frizz.

Há várias formas de estilizar.

Para conseguir um resultado eficaz, também pode optar por um modelador triondas. Esta ferramenta de calor diferencia-se por incluir três semicilindros, posicionados lado a lado, que tornam o processo mais rápido. No entanto, “dá um pouco mais de trabalho. Tem que se segurar o ferro, soltar e voltar a repetir o processo de forma contínua”, acrescenta.

Neste caso, é indispensável contar com um protetor térmico para não prejudicar a saúde dos fios. Para não correr riscos, ou se não tiver um instrumento do género, pode sempre contar com a ajuda de um profissional.

Falamos de um penteado que mantém o estilo mesmo após um mergulho no mar, permitindo que aproveite o dia na praia sem se preocupar em refazê-lo. Além disso, ao manter o cabelo apanhado permite que os fios se mantenham fixados, evitando que o cabelo molhando e rebelde seja um problema no descanso.

“Outra opção, para deixar as ondas ainda mais naturais, é passar uma escova de cavalo ao finalizar todo o processo. Desta forma, vão abrir-se e não ficam tão definidas”, sublinha. “Vai dar aquele ar saudável como se tivessem sido molhados e secados naturalmente.”

A quem fica bem?

O efeito fica sempre mais visível em cabelos compridos, sobretudo a partir da parte de cima dos ombros. Uma das vantagens destas ondas é dar volume e, se for uma cabeleira mais curta, não dá para criar este efeito mais avultado.

No entanto, funciona em todos os tipos de rosto. Dependendo do formato, pode colocar as ondas mais intensas mais próximas ou afastadas da zona da raiz. Sobretudo se tiver uma cara mais larga: “tem que ter cuidado para deixar começar a cinco dedos do cabelo, deixando a raiz lisa e focando-se só no meio e nas pontas.”

Além de dar um ar de praia tão estival, há uma última vantagem. O cabelo pode durar até três dias se a pessoa diminuir as lavagens. Por isso, pode sobreviver aos três dias que, normalmente, duram os festivais de verão em Portugal.

Carregue na galeria para descobrir as cores (fáceis de manter) que vão ser tendência nos próximos meses.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT