Beleza

Os perfumes também têm data de validade — e há formas de descobrir se já passou

Nem toda a gente sabe, mas há uma vida útil destes produtos, que pode variar conforme os cuidados que tenhamos.
Este dado pode alargar a vida do seu perfume

As suas criações mais remotas podem vir desde dois mil anos antes de Cristo, mas foi a partir do século XIV, na altura do Renascimento, que os perfumes começaram a ser cada vez mais procurados. Nos dias de hoje, usamo-los diariamente (ou quase) conforme as preferências — e este cosmético ocupa uma grande fatia do mercado da beleza em todo o mundo.

Há quem use apenas um, quem varie entre diferentes opções conforme a ocasião ou o estado de espírito, quem prefira os mais discretos e quem não dispense os aromas fortes. Até há quem misture duas fragrâncias ao mesmo tempo. Seja qual for o seu caso, o mais provável é que tenha em casa pelo menos um perfume. Será que há um limite para o seu uso?

A verdade é que sim. Os perfumes têm validade e também se estragam, mesmo que nem todos apresentem explícita a sua data de validade ou o tempo que podem ficar abertos sem perder as suas propriedades. De uma forma simples, começam a perder a validade, por assim dizer, a partir do momento em que os abrimos.

“Quando colocamos perfume a embalagem permite que entre ar, o que com o tempo oxida a fragrância”, explica o perfumista sénior Clement Gavarry, citado pela “In Style”.

Um dos primeiros sinais de que um perfume começa a perder as suas características é, de facto, não ter um cheiro tão intenso como quando o estreou. Por esse motivo, e para tirar o máximo de partido das suas fragrâncias favoritas, o melhor é ir terminando os frascos que tem abertos antes de começar outros novos. Mesmo que seja daquelas pessoas que gostam de variar, tente não ter demasiadas opções abertas ao mesmo tempo.

Quando um perfume está mesmo estragado é fácil de perceber. É que as moléculas acabam por ser alteradas pelo oxigénio do ar e transformam o aroma em azedo e mais desagradável.

“Geralmente, os aromas cítricos, de frutas aromáticas, folhas verdes e patchouli são os mais sensíveis à oxidação. Outro indício de que o perfume está caducado é a descoloração da fragrância. No entanto, o bom é que a vida útil das fragrâncias está a estender-se mais do que antes, já que muitos perfumistas agora usam estabilizantes e filtros UV que fazem com que as moléculas sejam menos sensíveis à oxidação”, aponta ainda o especialista.

Assim, a forma mais simples de perceber se um perfume está ou não em condições de ser usado é perceber se a sua tonalidade foi alterada — ficou mais escura ou amarelada — ou se o cheiro se tornou azedo ou desagradável. Na dúvida, experimente num papel antes de aplicar na pele e, se tiver alguém consigo, peça uma segunda opinião.

Não é muito comum haver uma reação alérgica a um perfume por este ter perdido a validade. Ainda assim, os especialistas alertam para a possibilidade de isso acontecer, especialmente em peles mais sensíveis.

Agora que já sabe como perceber se um perfume está ou não estragado, convém saber como pode alargar a sua vida útil. A partir do momento em que um perfume é aberto, a sua validade é de cerca de dois anos, mas esse tempo pode variar conforme as condições em que o guarda. Se deixar o perfume num local com muita luz e temperaturas altas, poderá durar em bom estado apenas três a seis meses.

Assim, para fazer o seu perfume favorito durar o máximo de tempo possível deve, além de ir gastando primeiro aqueles que estão abertos há mais tempo, mantê-lo longe da luz e de temperaturas elevadas. O ideal é deixá-lo dentro da caixa em vez de a deitar fora e, idealmente, guardá-lo no frigorífico.

Se anda à procura de um novo aroma para marcar 2021, carregue na galeria para conhecer algumas sugestões.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT