Decoração

A surpreendente casa no Estoril que faz uma espiral até chegar ao céu

Chamam-lhe A Casa da Astróloga e é uma surpresa que só se revela depois de entrarmos no interior.
Foto: Francisco Nogueira

As altas paredes brancas sobressaem nas estreitas ruas do Estoril. Do lado de fora, pouco se vê. Só no interior se percebe o porquê de criar uma casa virada para dentro — e para o céu.

O simbolismo é a alma do projeto criado pelo arquiteto António Costa Lima — que é também responsável pela incrível casa ligada ao MAAT — e que se inspirou na história de vida dos proprietários. A proposta foi uma surpresa que, pelos vistos, foi um sucesso, 

A narrativa começa a explicar-se pela alcunha que dão sempre a cada projeto lançado pelo atelier. “Chamei-lhe A Casa da Astróloga, uma alcunha que não podia ter surgido de forma mais natural, até porque a proprietária é astróloga”, conta à NiT.

Quando lhe foi solicitado o projeto, as exigências feitas eram “relativamente simples”. No momento de passar tudo para o papel, optaram por uma abordagem mais original, sempre assente na história de vida dos proprietários.

“É um casal que viveu muitos anos fora do País e que finalmente regressou às origens. Passaram por vários países onde acumularam vivências e histórias e a casa está intimamente ligada a isso, ao facto de uma das proprietárias ser precisamente astróloga”, explica o arquiteto responsável pelo projeto. A verdade é que a proposta surpreendeu os proprietários, que estavam “à espera de algo mais tradicional”.

Toda a casa está virada para dentro, para si própria — exceção feita aos pisos superiores, onde os escritórios e quartos têm também janelas para a rua —, e existe apenas um corredor principal que vai ligando cada uma das divisões. Completamente envidraçado, este corredor em forma de espiral quadrada permite manter a privacidade sem que isso bloqueie a luz, que assim está sempre presente.

A espiral é o ponto mais simbólico da casa, que a percorre do ponto mais baixo ao ponto mais alto. “Há um movimento ascendente, em direção ao céu, até à cobertura que tem um terraço. Queremos transmitir uma ideia de regresso, do eterno retorno, que se faz dentro da casa pelo corredor — onde existem uma série de quadros que contam a história da família”, explica.

Embora pareça um bloco fechado para quem a vê de fora, do interior, o edifício vai-se abrindo em direção ao terraço no topo, onde há uma vista sobre a paisagem, sobre o mar, que também é cenário de vista do quarto principal. No rés do chão, lança-se a rampa que contorna o jardim em dois níveis. Já no interior da casa, as subidas fazem-se em meios pisos, já que existe um desnível de divisões consoante o lado em que se está.

Na zona mais baixa foram criadas as áreas sociais, a sala e a cozinha. Mais acima encontram-se ainda dois quartos e dois escritórios. No centro de tudo, o jardim, que se avista sempre, esteja onde estiver. “Essa foi a área que deixamos ao critério dos proprietários”, revela o arquiteto da zona que se divide numa zona de jardim e noutra de convívio exterior.

A verdade é que a disposição da casa põe de pernas para o ar aquilo que entendemos como as disposições mais tradicionais. Para ir da sala ao quarto, tem que percorrer uma distância muito maior do que se pudesse chegar lá de forma mais direta.

Quer dizer, talvez não seja bem assim: é que este projeto pensou em tudo e se correr o luminoso corredor é agradável, haverá ocasiões em que a pressa é essencial. “Existe uma escada que liga o quarto principal à sala. É um bypass, uma espécie de atalho, mais funcional”, sublinha.

E o dia da revelação? “Foi uma surpresa para os proprietários mas eles ficaram super contentes com a casa”, nota António Costa Lima, que apostou nesta história contada através de linhas arquitetónicas para os convencer: “Podemos fazer uma viagem dentro de casa, de baixo para cima, ou de cima para baixo. É um discurso do eterno retorno, do simbolismo do movimento ascendente. É uma solução com uma carga simbólica muito grande e por isso bem aceite”.

Carregue na galeria para ver mais imagens desta moradia espetacular no Estoril que foi construída em 2016.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT