Decoração

Estilista que copiou camisola poveira também está a vender imitações da Bordallo Pinheiro

Tory Burch pediu desculpa aos portugueses pela cópia da peça de vestuário, mas está a vender louças iguais à da marca de cerâmica portuguesa.
Uma taça em forma de couve da Tory Burch.

Esta quinta-feira, 25 de março, as notícias sobre uma marca norte-americana que copiou descaradamente a tradicional camisola poveira — e ainda a pôs à venda como sendo de inspirações mexicanas — correram o País. O alarido dos portugueses foi tão grande que até a proeminente conta de Instagram Diet Prada, com mais de 2,6 milhões de seguidores, partilhou a história.

“A camisola de Tory Burch levanta a ira do povo português”, podia ler-se na publicação, que mostra uma montagem de Ricardo Carriço a vestir uma camisola poveira ao lado da imitação de Tory Burch, destacando também os bordados da coroa da monarquia portuguesa. 

Foi só depois desta publicação internacionalizar a polémica que Tory Burch veio pedir desculpa ao “povo português” na noite de quinta-feira, mas o mal já estava feito. Além das camisolas poveiras, parece que Tory Burch é especialista em retirar inspiração de outras marcas, artistas ou culturas: foram muitos os comentários que apontaram o dedo às imitações da Bordallo Pinheiro que tem à venda na sua loja online.

No separador “Tabletop & Drinkware”, onde estão à venda as peças de mesa, há dezenas de jarras, taças, pratos, copos e tabuleiros que parecem ter saído diretamente da icónica ceramista portuguesa. São, em quase tudo, idênticas às peças da Bordallo Pinheiro, com uma diferença essencial: os preços absurdamente mais elevados. 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Diet Prada ™ (@diet_prada)

Se, por exemplo, uma terrina em forma de couve da Bordallo Pinheiro custa 55€, no site da Tory Burch vai encontrar uma alternativa semelhante por 360€ — um preço mais de sete vezes superior ao da peça original. 

Há 31 artigos à venda nesta categoria de produto da designer de 54 anos. A grande maioria deles tem a estética característica da Bordallo Pinheiro. Na caixa de comentários da mesma publicação Diet Prada podem ler-se vários comentários sobre isto. “Não foram só as camisolas poveiras que a Tory Burch copiou à cultura portuguesa. A louça de mesa disponível no site também se inspirou fortemente na famosa marca de cerâmicas Bordallo Pinheiro”, acusa um seguidor.

No entanto, também há por lá utilizadores romenos que se queixam de a marca ter copiado a estética de um casaco tradicional do seu país. O caso foi denunciado em 2017, quando a empresa colocou à venda uma réplica da peça de vestuário e, à semelhança do caso português, começou por afirmar erradamente que a inspiração seria africana. Depois do tumulto gerado nas redes sociais, acabou por dar crético às suas verdadeiras origens.

Na terça-feira, 24 de março, a polémica foi lançada depois de Ricardo Silva, presidente da Junta da Póvoa de Varzim, denunciar a marca por copiar as camisolas poveiras. Depois de encontrar a réplica no site da criadora, entrou em contacto com a marca e não obteve qualquer resposta até ao final da noite de quinta-feira, 25 de março, quando a Diet Prada fez a publicação no Instagram.

tory burch
A terrina de Tory Burch, à esquerda. À direita, a peça da Bodallo Pinheiro.

Nessa altura, a camisola já tinha mudado de nome no site e perdido as referências à inspiração mexicana, mas ainda não tinham sido dados os devidos créditos. Esta sexta-feira, a camisola poveira de Tory Burch (que está à venda por 695€, um preço cerca de 10 vezes superior às originais) tem finalmente um nome que lhe faz justiça. Agora, é referida por “sweater inspirada na Póvoa de Varzim” e a descrição do produto conta um pouco da sua história.

“Originária dos anos 1800, a camisola poveira era usada por pescadores no tempo frio. Os padrões simbolizam a cultura local, quase sempre feitos em vermelho, preto ou branco. A nossa verão tem ombros descaídos, uma bainha cortada e um fit oversized.” Incluído ainda está também um link que direciona os clientes para o site da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, um pedido que deverá ter sido feito diretamente pela autarquia.

“Pedimos sinceras desculpas aos portugueses — foi levado ao nosso conhecimento que atribuímos erroneamente uma camisola da nossa coleção Primavera 2021 como inspirada em Baja — México”, começava o pedido de desculpas da marca na noite de quinta-feira. 

“Queremos reconhecer ainda mais essa importante tradição e estamos a trabalhar em conjunto com a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim de forma a encontrar as melhores soluções para apoiar os artesãos locais. A Tory Burch representa a inclusão e a celebração de diversas culturas, iremos esforçar-nos para fazer o melhor no futuro”, escreveu a designer.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT