Decoração

Palmie: a primeira marca portuguesa a organizar festas de desperdício zero

Ana Inês Palminha quer acabar com os plásticos descartáveis e produtos de utilização única.
Há vários temas.

Depois do nascimento do filho da sua melhor amiga há seis anos, Ana Inês Palminha começou a decorar as suas festas de aniversário com tudo o que encontrava no mercado. Mas em julho do ano passado, depois de rebentar os balões no fim da festa, aquilo a que chama o seu “grilo da consciência” começou a falar mais alto.

O amontoado de saquinhos e revestimentos de plástico dos pratos e copos de papel foi a chamada de atenção definitiva. A minha cabeça não parou enquanto não encontrei um novo caminho“, conta à NiT a fundadora, de 34 anos. Essa procura por uma alternativa sustentável levou-a a criar a Palmie, uma marca de festas inspirada no modelo da economia circular e sustentável.

Aqui não entram pratos de plástico, palhinhas ou talheres descartáveis. As decorações da Palmie são criadas exclusivamente com produtos reutilizáveis. “Por exemplo, o serviço de mesa é feito de melamina, um plástico termoendurecido, leve, resistente, higiénico, sem bisfenol A e ftalatos”, acrescenta. Estes dois últimos são compostos químicos e sintéticos geralmente usados como aditivos para produzir plásticos de utilização única.

No entanto, é dada preferência à compra de artigos de decoração em segunda mão, à utilização de materiais reciclados e recicláveis e aos guardanapos de tecido. “Na necessidade de comprar algo novo, faço sempre o exercício de pensar bem se preciso mesmo daquele artigo ou que múltiplas vidas lhe posso dar“, explica Ana, que estudou Arte e Multimédia na Faculdade de Belas Artes de Lisboa.

A Palmie é a primeira empresa no mercado português a criar decorações sustentáveis, uma vez que prescinde de qualquer produto de utilização única. “Acho super positivo as outras marcas terem o cuidado de procurar artigos em papel, bambu ou outros materiais mais ecológicos, mas não deixam de ser desperdício”, sublinha a fundadora, que também não usa balões nas suas festas. “Balões só no logotipo. É onde ficam bonitos e não fazem lixo”.

À estranheza inicial de quem se depara com os valores base da marca, Ana explica que se segue uma fase de curiosidade e passagem para a “grande aceitação”. 

“A maioria dos produtos que fazem a decoração das festas são artigos do dia-a-dia ou fazem mesmo parte da decoração de minha casa”. Por não recorrer a papelaria, Ana procura ilustrações de artistas portugueses, como a BOLBO Illustration e a Ana Agostinho. Os guardanapos são feitos pelos projetos nacionais Gatarolas e ReUse by Ajuda de Mãe e os cestos pela Amor Mora Aqui.

No site da Palmie, vai encontrar quatro temas de festas que podem ser organizadas: Estrelas e Unicórnios, Maré Alta, Pepitas Coloridas e Dino Picnic. Os pedidos de orçamento devem ser feitos através do email hello.palmie@nullgmail.com ou pelas contas de Facebook e Instagram.

View this post on Instagram

🥳 FELIZ DIA DA CRIANÇA!

A post shared by PALMIE 🥳 Festas sem lixo (@hellopalmie_festassemlixo) on

Quem manda nisto tudo?

Nome: Ana Inês Palminha;
Idade: 34 anos;
Guilty pleasure: Backstreet Boys;
Peça favorita: ” Sem dúvida o tableware. Delicio-me com todas as cores e combinações que posso fazer. É por onde tudo começa: as cores das loiças são a primeira inspiração”;
Convença-nos a conhecer a marca: “Tu celebras. Nós fazemos a festa. O Planeta agradece!”

palmie
Ana Inês Palminha em ação.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT