Decoração

Viúva Lamego junta-se ao Manicómio para criar três pratos de edição limitada

A The Agência Manicómio colabora com profissionais que sofrem ou já sofreram com uma doença mental.
O prato de Cláudia Soares.

A histórica Viúva Lamego, uma das principais referências na produção de azulejaria em Portugal, juntou-se este mês à The Agência Manicómio para criar uma coleção de arte que recebeu o nome “Partir a Loiça Toda”.

Esta edição contou com a intervenção artística de Anabela Soares, Joana Ramalho e Cláudia Sampaio, três artistas da The Agência Manicómio que lidam com alguma forma de doença mental.

É uma coleção limitada a 25 peças de cada artista, feitos em chacota antiga pelos artesãos da Viúva Lamego e com uma pintura manual das artistas. O modelo escolhido é o mesmo prato que é utilizado nos serviços em faiança da empresa portuguesa.

Gonçalo Conceição, diretor-geral da Viúva Lamego, explica à NiT que a fábrica se posiciona como um espaço aberto para artistas, arquitetos e designers que queiram fazer da cerâmica o seu meio de expressão artística, defendendo a inclusão pelo talento.

“A parceria com o Manicómio, de que muito me orgulho, insere-se neste princípio que defendemos, razão pela qual acredito que se venha a revelar um sucesso a repetir”, continua. 

A Viúva Lamego foi fundada em 1849 e é, hoje, uma das maiores referência na produção de azulejos em Portugal. Tem, historicamente, uma forte ligação à arte. Foi, aliás, graças às colaborações com artistas que foram lançando ao longo das décadas peças únicas e marcantes.

A 25 de novembro, a linha criada em parceria com a The Agência Manicómio foi posta à venda. Esta agência criativa e de design colabora com profissionais que experienciam (ou experienciaram) doença mental. Começou com um projeto piloto e funciona agora com serviços de consultoria, design e comunicação. 

As artistas

Anabela Soares, uma das artistas, começou no atelier de arte do Centro Hospitalar de Psiquiatria de Lisboa em 2013. A sua escultura “Urso” integrou a exposição coletiva “Deslocado” (2015) no Pavilhão 31 em Lisboa. Está presente em várias coleções privadas de arte e já expôs no Museu Bordalo Pinheiro, em Lisboa.

Já Joana Ramalho estudou o Curso de Pintura e Desenho no Ar.Co, frequentou a licenciatura de Artes Plásticas na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e a Pós-Graduação em Pintura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Participou em diversas exposições coletivas, entre o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e Nova Iorque.

Por fim, Cláudia Sampaio estudou na a Escola Superior de Teatro e Cinema e foi guionista em cinema e televisão. Neste momento dedica-se à escrita e à pintura. Tem seis livros de poesia publicados e foi uma das poetisas portuguesas convidadas para a Feira do Livro de Guadalajara, México, em 2019. Os seus quadros também já foram expostos em Nova Iorque.

“Partir a Loiça Toda” está à venda através das redes sociais do Manicómio e da Viúva Lamego, mas também poderá encontrar todas as peças na loja online. Parte das receitas da venda destas peças reverte para as autoras da coleção. Os pratos são entregues num saco de pano e acompanhados de um cartão numerado e assinado por cada artista. Os preços variam entre os 100€ e os 137€.

Carregue na galeria para conhecer os três pratos criados pelas artistas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT