Lojas e marcas

A Like a Pincess “começou como uma brincadeira” e agora veste as filhas de Ronaldo

A 1 de janeiro, o craque publicou uma fotografia em que as filhas aparecem com conjuntos da marca de Guimarães. Custam 31€.
Eva e Alana usam o modelo Luz.

Tudo “começou como uma brincadeira”. Em 2019, Ângela Fernandes decidiu pôr mãos à obra e tornar realidade o sonho antigo de ter um projeto, voltado para o público infantil, na área da moda. O abstrato passou a concreto no final desse mesmo ano, com o lançamento de Like a Princess, marca que, inicialmente, tinha apenas os amigos e a família como clientes.

“Não criava como agora”, contou à NiT. Com a pandemia, as coisas mudaram de figura e o negócio ultrapassou os limites do círculo social da vimaranense, que chega aos consumidores através das redes sociais. A empreendedora sempre gostou de crianças — ainda trabalhava num infantário quando iniciou esta aventura —, pelo que a moda infantil, invariavelmente, a atraía. Habituada a estar rodeada pelos mais pequenos, devido ao emprego e à família, “acabava por ter uma noção das suas preferências”, conta.

Juntou assim as duas paixões e, cerca de três anos depois, dedicada em exclusivo ao projeto e com uma filha de oito meses, a inspiração só aumentou.

No dia 1 de janeiro, sem esperar, captou as atenções do País e além-fronteiras graças a Cristiano Ronaldo. O capitão da seleção publicou uma fotografia familiar em que as filhas Eva e Alana aparecem, perante os seus mais de 300 milhões de seguidores, com conjuntos criados por Ângela. Georgina Rodríguez também partilhou o momento. Entretanto, as peças esgotaram, mas a responsável admitiu voltar a confecioná-las.

Esta não foi, contudo, a primeira vez que as filhas do futebolista usaram roupas da Like a Princess, produzidas em Portugal, apenas com produtos da região norte. A criadora faz questão que assim seja, por acreditar que “o nacional tem sempre mais qualidade”. É ela quem escolhe os tecidos, vai comprá-los e esboça as ideias. Saem do papel para a montra digital pelas mãos habilidosas de costureiras da região, que descreve como “bastante eficientes”, o que lhe permite lançar uma coleção em três dias, “no máximo”.

Estas artesãs “fazem tudo, de golas a fofos, saias e vestidos”. O que não produzem, como meias e collants, Ângela consegue adquirir junto de fornecedores. Excecionalmente, na combinação usada por Eva e Alana, para que “fosse perfeita”, não só as meias, mas as golas, foram compradas a um provedor externo, de Barcelos.

Quando, em abril de 2020, o atual jogador do Manchester United partilhou um vídeo em que treinava junto das filhas — ambas equipadas com as roupas da vimaranense — também as vendas dispararam e o tecido esgotou. Na altura, foi Kátia Aveiro quem avisou a empreendedora que o irmão tinha publicado fotografias das meninas com as peças, disse. Desta vez, apercebeu-se sozinha. Nos dois casos, sentiu “felicidade e orgulho”. “Não havia melhor forma de começar o ano”, acrescentou.

Os conjuntos chegaram ao jogador de futebol precisamente através da irmã Kátia. Inicialmente, enviava peças (ainda o faz) apenas para Valentina, a filha da cantora, mas em plena pandemia, decidiu enviar também para as de Ronaldo e Georgina, contou. Das três vezes que o fez, as meninas apareceram nas redes sociais com as suas roupas, o que trouxe mais seguidores à página. “Vinham atrás dos modelos utilizados nas fotografias, mas queriam conhecer outros”. No estrangeiro, sobretudo na Suíça e Alemanha, os clientes são emigrantes.

Recentemente, depois de “muitos pedidos”, os fatos de treino entraram no catálogo. “Penso que por passarem tanto tempo em casa, as pessoas habituaram-se à roupa prática”. Os conjuntos matchy matchy continuam a ser uma aposta e um “sucesso”. “Penso que se deve às combinações que, muitas vezes, outras lojas não têm. E as pessoas perguntam muito. Inicialmente produzia só para mães e filhos, mas agora pedem também para pais. Querem a família toda a combinar”, revelou.

Carregue na galeria para ver em detalhe o modelo Luz, usado por Eva e Alana, e conhecer outros conjuntos da Like a Princess, com valores adaptados a todas as carteiras — os preços dos conjuntos variam entre os 20 e os 30€. Ângela prefere vender mais, a preços acessíveis, do que menos, o que acontece quando a maioria das pessoas não consegue comprar as peças, concluiu. Nos próximos dias, a marca vai lançar uma nova coleção — fique atento à página da Like a Princess no Instagram.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT