Lojas e marcas

A marca de jóias nacional que desafia as mulheres a pedirem os namorados em casamento

A coleção “Love is Love”, da Wonther, é uma provocação que inverte os papéis de género tipicamente associados ao noivado.
Aceita o desafio?

A fantasia tipicamente associada aos tradicionais contos que envolvem histórias de amor entre príncipes e princesas é algo que continua a fazer parte do imaginário associado ao matrimónio, que começa com o típico pedido de casamento. Tornou-se uma imagem comum imaginar o futuro noivo ajoelhado, a formalizar o pedido à futura esposa recorrendo a um anel que simboliza o compromisso que tencionam assumir.

A nova coleção da marca portuguesa de joalharia Wonther procura desafiar as mulheres a inverterem as posições e pedirem os namorados em casamento. Se a marca começou por ser direcionada ao sexo feminino, “apenas por convenção”, o projeto tem vindo a evoluir e a posicionar-se de forma diferente. Com o passar do temo, passou a assumir uma posição mais neutra e a oferecer uma nova visão no que diz respeito à joalharia e aos papéis de género.

“O primeiro pensamento foi redesenhar as nossas coleções”, conta Olga Kassian, de 25 anos, a responsável da insígnia. “Porque é que, para a marca ser gender neutral, temos que desenhar peças novas? Quem é que ditou que as propostas que temos neste momento são apenas para as mulheres?”

De acordo com uma pesquisa realizada pela Wonther, menos de 5 por cento das mulheres fazem o pedido de casamento aos seus parceiros. Por ser uma das normas de género que se está a revelar mais difícil de combater, numa altura em que o conceito  de matrimónio está a ser redefinido, pareceu lógico incentivar o público feminino a dar este passo.

“A indústria da ourivesaria e da joalharia está muito ligada às alianças e aos anéis de noivado. Faz parte da sua história e queríamos contribuir para a mesma”, acrescenta Olga. “No entanto, a forma como a indústria dos casamentos funciona não batia certo com os nossos valores e não nos sentíamos confortáveis a perpetuar normas sexistas”.

Na coleção “Love Is Love”, lançada no final de julho, estão disponíveis dois anéis de noivado e duas alianças. Existem modelos em ouro branco e em ouro amarelo, sendo que os preços começa nos 830€.

A estética da nova oferta dá continuidade ao anterior lançamento da marca, onde os anéis seguem uma onda baseada na filosofia de que recebemos aquilo que damos aos outros. Nos novos acessórios, mantém-se a curva “porque a vida não é uma linha reta, nem um círculo como as alianças tradicionais”. Outro pormenor é que o anel de noivado encaixa na aliança.

No entanto, não querem que as peças se limitem apenas a um grupo restrito de clientes. “São para qualquer pessoa, seja um casal homossexual ou para um homem fazer o pedido à namorada. Adotámos esta linha de pensamento para tentarmos quebrar algumas regras”, reforça Olga.

Para aproximar a iniciativa de um público ainda mais vasto, decidiram sair às ruas. Em Lisboa e no Porto, questionaram vários casais sobre quem é que fez o pedido e porque é que, na maioria dos casos, foi o homem que fez o pedido. Muitos não sabiam responder, mas ficaram com a certeza de que a maioria dos namorados questionados teria adorado a iniciativa.

O sucesso da campanha também se verificou nas redes sociais, onde surgiram comentários de clientes femininas a afirmarem que tinham feito o pedido aos parceiros. Mantendo-se fiel a uma estética que muitos considerariam feminina, convidam todos os que gostam das peças a usá-las — sejam homens ou mulheres.

Criada em 2019, a Wonther tem vindo a conquistar o seu espaço no mercado. Já esteve, inclusive, em destaque na “Teen Vogue” e no “The Guardian” por querer tornar a indústria da joalharia mais sustentável. A produção é feita em Portugal, numa fábrica certificada pela Responsible Jewellery Council, e todos os materiais usados são 100 por cento reciclados.

A joalharia ética da Wonther está disponível no site da marca, incluindo a mais recente coleção. Carregue na galeria para conhecer as peças e os respetivos preços.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT