Lojas e marcas

A nova concept store de Lisboa é uma carta de amor aos criadores locais

Tudo começou com ilustrações. A Lisboa Paper Company junta arte, roupa, acessórios e decoração.
As fundadoras trabalham juntas há 15 anos.

Os “posters sérios com ilustrações patetas” são o cartão de visita para o trabalho de Rosa Rodrigues e Leonor Coelho. Há mais de 15 anos que a dupla se junta num atelier em Lisboa para mostrar a sua “forma idiota de ver o mundo” com canetas e uma folha em branco. O traço animado parece saído de um livro infantil, mas não há quaisquer limites temáticos.

Após várias experiências em feiras do livro, mercados de rua e espaços pop-up, as artistas quiseram dar novas formas a este projeto. Assim nasceu a Lisbon Paper Company, uma concept store que abriu portas em março num espaço histórico no Cais do Sodré, em Lisboa. O objetivo? Ter um espaço que sirva como carta de amor ao trabalho manual feito no nosso País, seja através da arte, de objetos decorativos ou até de peças de roupa. “Achámos que um espaço cheio de caráter era o ideal para juntarmos todas as peças bonitas que gostávamos de ter connosco”, explica Leonor à NiT.

É com uma decoração minimalista e acolhedora que as fundadoras dão todo o protagonismo às peças. Os quadros que surgem nas paredes e nas prateleiras — alguns em referência a histórias infantis, outros ao corpo feminino — são complementados por loiças que adornam mesas de madeira, a roupa nos charriots ou as joias que espreitam discretamente através dos expositores.

Algumas das ilustrações das fundadoras.

Todos os criadores que estão presentes no espaço são o reflexo do gosto pessoal das fundadoras, que selecionaram cuidadosamente os convidados. É o caso dos candeeiros de Ana Paula Almeida ou das cabeças de animais em burel de Miguel Gigante, que também dão vida ao ponto de venda.

Das mochilas de inspiração japonesa da Bashô às peças ecológicas da Ablesia, a Lisbon Paper Company é um oásis para todos os que procurem o melhor do que é feito à mão em Portugal. E a oferta não vai parar de aumentar, com Rosa e Leonor sempre à procura de novos convidados.

No entanto, a ilustração vai continuar a ser a base deste projeto, tal como o próprio nome indica. A referência ao papel, onde nascem todas as ideias que ganham forma e cores, é aliada às raízes lisboetas das duas criativas que nasceram e cresceram na capital.

Como o objetivo é celebrar a produção local, os lisboetas são uma parte essencial deste negócio. No entanto, “o objetivo global é acolher toda a gente na loja”, acrescenta Rosa, que destaca que a localização na rua da Boavista pode ser um chamariz para os turistas que passam ali todos os dias.

As proprietárias querem ainda criar um espaço de tertúlia. O espaço é amplo o suficiente para receber eventos com pessoas que se queiram sentar a conversar sobre diversos temas, participar em workshops ou até lançamento de livros. No fundo, pode ser também um espaço de cultura.

“O nosso sonho é que isto seja muito mais do que apenas uma superfície comercial. Queremos um lugar onde possamos reunir velhos amigos e novos, para celebrar a beleza e a cultura desta cidade mágica”, concluem.

Carregue na galeria para ver mais imagens do espaço e ficar a conhecer melhor o conceito da Lisboa Paper Company.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Boavista, 132
    1200-177 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça-feira a sábado das 11h às 14h e das 15h às 20h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT