Lojas e marcas

A plataforma digital de Ana Rita Clara tem peças lindas de marcas nacionais sustentáveis

A apresentadora e empreendedora optou apenas por etiquetas comprometidas com a produção ética. Em setembro chegam novas propostas.
É apaixonada por moda.

Aos 43 anos, Ana Rita Clara divide o seu tempo entre múltiplas atividades e os seus dias estão longe da monotonia. É influencer, apresentadora e empresária. Em 2019 lançou o site ARC e agora, cerca de três anos depois, a 22 de julho, fez um rebranding à plataforma, apostando ainda mais em marcas nacionais com um factor diferenciador das restantes propostas do mercado.

“Tive uma boa aventura no online, e tenho construído vários projetos ao longo destes anos além da televisão. O meu ADN é de empreendedora, e sempre estive muito ligada ao digital”, conta à NiT. Tem-se destacado neste meio e, em 2019, ganhou o prémio Best Influencer na cerimónia organizada pelo canal E!.

“A página foi-se transformando e caminhando para algo mais individualizado, mais à minha medida e mais fiel à minha visão do mundo”, conta à NiT. O facto de ser uma apaixonada por moda também ajudou. Aos 14 anos, já desfilava e desde então participou em inúmeras campanhas de diversas marcas, como a Dama de Copas.

As novas propostas que encontramos no ARC deixaram-na rendida, e são criações de etiquetas nas quais acredita verdadeiramente. “Tornou-se incontornável que criasse uma colaboração”, confessa. A Mhina é uma marca mais sofisticada, com opções para diversas ocasiões, como um cocktail, um jantar ou um dia de trabalho. “É para a mulher cosmopolita, do mundo”, afirma.

A GreenKiss é inspirada na natureza e apresenta silhuetas descontraídas de estilo boho. Por último, destaca a Clara, marca especializada em kimonos. “Representam aquilo que gosto”, diz-nos Ana Rita Clara. “A decisão foi tomada no momento em que vesti as peças. Estabeleceram-se sinergias naturais, tal como acontece nos melhores projetos da vida”, acrescenta.

Apesar de terem estilos diferentes, as três marcas que representa na ARC têm um ponto em comum: o fator sustentabilidade (e, claro, serem todas portuguesas). Todas têm um compromisso de produção ética, em quantidades limitadas e de peças com maior durabilidade.

“Temos de começar a ter mais este tipo de pensamento”, considera Ana Rita Clar. O movimento slow fashion é o futuro e é, simultaneamente, o presente. “Já vemos esta vertente sustentável em grandes marcas. Já não é apenas uma ideia, é uma realidade. Tanto a moda como outras áreas estão a ir nesse caminho, porque não existe um planeta B.”

Atualmente, o portal destaca estas três insígnias, mas em setembro outras chegarão, revela a apresentadora. Todas com algo que as destaque da restante oferta do mercado. “O site e a loja vão continuar a crescer, sempre com muito trabalho, como tudo na vida”, realça. “Vou continuar a consolidar a marca Ana Rita Clara, vai ser a continuação do aprofundar deste meu gosto por esta área, e pretendo evoluir. Quero marcar o público.”

Carregue na galeria e conheça algumas das propostas disponíveis na renovada plataforma ARC.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT