Lojas e marcas

Amor Fati: a nova loja do Martim Moniz é uma viagem pelo mundo do vintage

Da roupa aos acessórios, tudo foi escolhido a dedo pela proprietária. É um espaço para fazer compras sem pressa.
Liliana encontra as peças nas suas viagens.

Em 2020, Liliana Dias voltou para Lisboa após nove anos a trabalhar em Londres. Neste regresso, já sentia o cansaço de uma década passada sentada à frente de uma secretária, em escritórios de multinacionais ligadas à tecnologia. Aos poucos, percebeu que estava na hora de definir o seu próprio caminho.

A vontade de mudança resultou na Amor Fati, uma expressão proveniente do latim que pode ser traduzida para “amor ao destino”. É o nome (e a premissa) da nova loja vintage que em dezembro abriu portas no Martim Moniz, em Lisboa, que tem como especialidade a roupa e os acessórios em segunda mão.

Para a proprietária, de 33 anos, representa a oportunidade de mudar de vida. “Já tinha trabalhado em lojas deste género. Mais recentemente, passei por um espaço assim e reativei o meu interesse. Quis mostrar o que torna estas peças mais especiais do que as que encontramos numa fast fashion”, começa por contar à NiT.

Embora seja um espaço pequeno — tem cerca de 40 metros quadrados —, é um ponto de venda luminoso e com uma grande oferta. Nos charriots colados às paredes brancas, os clientes conseguem encontrar um pouco de tudo: há sobretudos, blazers, camisas, malhas, calças e muitos acessórios. Destacam-se os chapéus, as carteiras, os óculos de sol e as botas.

“Antes de escolher, viajo para os armazéns que fornecem as peças. Há muitos que só aceitam revender a outros negócios de roupa em segunda mão”, explica. “Faço a curadoria de todas as peças. Avalio o estado de cada uma e escolho consoante o meu gosto pessoal. É por isso que a minha loja não é igual a nenhuma outra. É sempre especial”

Tem peças de várias décadas.

A nível de estilos, a oferta é também é bastante diversificada. Os consumidores conseguem encontrar muitas propostas de streetwear, com blusões e tops desportivos nas paredes, mas também há uma estética mais boémia e muitas peças de cabedal. Outros artigos remetem para as décadas de 70, 80 e 90.

Assim como a roupa, Liliana também escolheu a dedo todas as peças que decoram o espaço. Quando entram, as pessoas têm dois cadeirões onde se podem sentar enquanto um amigo experimenta uma camisa, por exemplo. “É um espaço chill, onde as compras não têm de ser feitas à pressa.”

Dos vários quadros aos cadeirões antigos, todos os artigos foram encontrados num armazém vintage em Torres Vedras, a Leiloeira do Futuro, onde a proprietária passou um dia inteiro a escolher os objetos mais diferenciadores. “São pequenos detalhes, mas que têm muito destaque.”

Apesar da dificuldade em encontrar um espaço, o Martim Moniz acabou por se tornar a morada ideal para a Amor Fati. Numa zona onde a oferta vista germina a olhos vistos, a comunidade local conta ainda com uma localização central e uma vista privilegiada para o Castelo de São Jorge.

Embora pequena, a loja ainda tem espaço para mais — e o próximo passo é dar música aos clientes. Em colaboração com um amigo melómano, Liliana quer trazer discos “especiais ou difíceis de encontrar” disponíveis parra os visitantes comprarem ou ouvirem enquanto esperam num dos cadeirões.

Carregue na galeria para ver mais imagens do espaço e conhecer melhor a oferta da Amor Fati.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua do Arco da Graça, 45
    1150-306 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Terça-feira a sábado das 11h às 19h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT