Lojas e marcas

As lojas dos centros comerciais vão passar a ter menos luz e aquecimento no inverno

É uma das medidas que constam do plano de poupança de energia aprovado pelo Governo e divulgado esta terça-feira, 27 de setembro.

Os centros comerciais receberam as recomendações do Governo para reduzir o consumo energético de forma positiva. Entre as propostas divulgadas esta terça-feira, 27 de setembro, — para entrarem em vigor já este inverno —, estão a redução da iluminação interior e exterior dos shoppings e do aquecimento

“O tempo da energia barata acabou e queremos não só implementar essas medidas como ir mais longe. A iluminação é uma ótima medida, mas é preciso fazer mais no que toca à climatização, na substituição de iluminação artificial por luzes mais eficientes, e fazer maior uso da luz natural”, explicou à “TSF” Rodrigo Moita de Deus, diretor-executivo da Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC).

No decorrer das próximas semanas, será lançada uma campanha que visa sensibilizar para o consumo de eletricidade. O objetivo é que exista um incentivo por parte das grandes superfícies para que os clientes percebam a importância das diretivas em vigor e, desta forma, as cumpram.

Incluídas no Plano de Poupança de Energia para 2022–2023, as medidas também visam a regulação da temperatura nos parques de estacionamento dos shoppings para um máximo de 26ºC e o ajuste na ventilação e temperatura no interior das lojas. O controlo do sistema de aquecimento também vai ser iniciado já durante o próximo inverno.

De acordo com a recomendação do Executivo, os estabelecimentos devem desligar as luzes das fachadas após a meia-noite. No período do Natal, também se prevê a redução do tempo em que as iluminações estão ligadas.

O plano, lê-se na resolução, “surge na sequência da crise geopolítica que se faz sentir atualmente na Europa, com graves consequências para o setor da energia, sendo um dos instrumentos que responde ao repto da redução voluntária de 15 por cento do consumo energético lançado aos Estados Membros da União Europeia (UE)”. E, caso a UE lance um alerta relativo à necessidade de reduzir drasticamente o consumo de energia nos 27 estados-membros, estas medidas podem tornar-se obrigatórias.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT