Lojas e marcas

A marca de sapatilhas minimalistas feitas em Portugal que combinam com tudo

Guilherme lançou a GTB para apostar na mobilidade em todas as gerações. O objetivo é ser sustentável, sem abdicar do estilo.
Umas sapatilhas à moda do Porto.

Quando Guilherme Teles Baptista acabou o curso de Economia na Faculdade de Economia do Porto, em 2021, sentia-se um pouco perdido quanto ao seu percurso profissional. Aliando a veia empreendedora à vontade de fazer diferente e contribuir para a redução da pegada ambiental, o jovem de 25 anos criou a Get The Balance, uma marca de calçado 100 por cento portuguesa que junta conforto, sustentabilidade e estilo.

O empreendedor inspirou-se no percurso da mãe, Paula Teles, uma das maiores especialistas do País na área do Planeamento e Mobilidade do Território. “Cresci muito à volta do conceito da caminhabilidade das cidades, o direito a uma cidade para todos, o direito a caminhar e a criação de novos padrões de mobilidade sustentável e, de uma forma literal, quis aliar isso ao conforto e ao estilo”, começa por explicar o jovem à NiT acrescentando: “Com a GTB, queremos promover o direito de caminhar nas cidades, lutando pela descarbonização e humanização, mas de forma confortável, sustentável e com muito estilo”.

Contudo, Guilherme não se apercebeu deste projeto inovador assim que o seu percurso académico terminou. Decidido a investir nas suas valências pessoais e profissionais, embarcou numa aventura em Angola que viria a mudar a sua perspetiva do mundo. Assim, a Get The Balance carrega um carácter social, procurando homenagear as localidades que o jovem, na sua viagem de cinco meses, visitou.

“Foi uma fase da minha vida onde as minhas valências saíram mais enriquecidas. Tudo isto porque vivi em locais onde há um contraste muito grande nas vivências e na cultura, relativamente com a realidade portuguesa. Gostava de, num futuro próximo, conseguir retribuir àquelas comunidades que nos ensinam que com tão pouco ou quase nada, é possível ser-se muito feliz”, confessa.

O jovem confessa não ter sido fácil criar um projeto numa indústria que, atualmente, se encontra em decadência no País. “Em primeiro lugar, as marcas grandes sobrepõem-se às pequenas como as nossas e depois é que somos mais forçados e convidados a investirmos a nossa produção fora de Portugal porque, em termos económicos, é mais rentável. Mas nós estamos cá para reeducar a indústria de calçado português”, refere.

Nesse sentido, a marca acredita que consegue contribuir positivamente para a economia circular local e nacional, privilegiando o humanismo na criação de cada produto, através de uma produção ética com transparência, boas condições laborais e proximidade com os artesãos que produzem as sapatilhas Get The Balance.

Assim, a matéria-prima à volta do produto final é a pele, sendo um elemento mais sustentável a partir do momento em que se garante a sua reutilização. “Claro que atualmente encontramos, por exemplo, pele de maçã ou ananás, mas ao reutilizarmos quantidades de pele que seriam desperdício, conseguimos garantir não só a qualidade como a biodegradabilidade do produto final”, acrescenta.

Antigamente, a indústria da pele era das mais poluentes do mundo. A Get The Balance procura fazer nas fábricas portuenses adaptações que envolvem a reutilização da pele, assim como o tratamento das mesmas. Por exemplo, ao serem tratadas com materiais naturais como resinas, em vez dos metais antigos, garante não só o conforto da sapatilha como benefícios para a saúde ao não ter elementos tóxicos na sua produção.

“Como é de esperar acaba por ser um processo mais demorado e minucioso por parte dos nossos artesãos, pois requer mais trabalho manual e maior controlo da temperatura, mas garante um calçado confortável e duradouro”, defende.

Desde as solas às palmilhas, tudo é desenvolvido de acordo com os princípios da marca. As palmilhas são desenvolvidas com 70 por cento de borracha reciclada e 30 por cento de borracha natural, caracterizando-se por serem ligeiramente mais grossas que as que habitualmente encontrámos no mercado, mas que acabam por garantir uma melhor postura corporal, para além de levarem um tratamento anti-fungo para aqueles pés mais cheirosos.

“O nosso objetivo é reduzirmos os 30 por cento de borracha natural, mas ao mexermos nesses valores, temos de garantir que o conforto e a segurança podem ser assegurados pela borracha reciclada. É um longo caminho a percorrer, mas estamos a seguir nesse sentido”, reforça o responsável.

 
 
 
 
 
Ver esta publicación en Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Una publicación compartida de Get The Balance (@get.thebalance)

 

O projeto tem vindo a ser desenvolvido há cerca de dois anos e meio. Agora, com quatro versões disponíveis, Guilherme tem os olhos voltados para vários projetos em andamento. Neste momento, está a trabalhar no desenvolvimento de novas cores e modelos.

“No início, decidimos reduzir a margem de risco e investimos em cores mais neutras e minimalistas, que pudessem adaptar-se a vários gostos e estilos. Contudo, estamos ansiosos pelos novos lançamentos que incluem cores mais vibrantes que, certamente, vão ganhar adeptos no mercado”, conclui.

Pode encomendar os modelos disponíveis através do site da marca. Atualmente existem dois modelos diferentes, um deles numa única cor, o outro em três cores. Os preços variam entre os 220€ e os 240€. Todos os modelos estão disponíveis do tamanho 35 ao 46, são unissexo e adaptam-se a todas as gerações.

Carregue na galeria para conhecer as sapatilhas Get The Balance ao pormenor.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT