Lojas e marcas

As sapatilhas estragadas que os mais ricos do mundo pagam centenas de euros para usar

São os artesãos da Golden Goose que fazem os danos à mão, para que tenham um aspeto mais usado e autêntico.
Os estragos não são ao acaso.

A moda das sapatilhas com um aspeto usado não começou ao acaso. Há mais de 10 anos, a marca de luxo italiana Golden Goose Deluxe Brand lançou pela primeira vez o modelo Superstar, que pode custar qualquer coisa entre 300€ e 1000€, e que vem “pré-estragado”, como se já tivesse tido anos de uso sobre os pavimentos das cidades mais sujas do mundo.

Era mesmo esse o objetivo e a realidade é que estas sapatilhas de luxo estragadas provaram ser o mais sucesso de sempre da marca, que foi criada em 2000. Fashionistas e clientes de luxo estavam dispostos a pagar centenas de euros por este calçado porque, na realidade, não existia nada assim no mercado. Esta estética representa um luxo cool, relaxado, despretensioso e desinteressado que ainda resulta nos dias de hoje.

“Em 2007, não havia sapatilhas de moda como as Golden Goose”, disse à revista “The Cut” Marina Larroude, diretora do retalhista de luxo Barneys New York. “Havia marcas de roupa desportiva e marcas exclusivas que produziam estilos de sapatilhas muito preciosos, mas não havia nada no meio. A Golden Goose preencheu o vazio ao criar um modelo que parece polido e cool, mas não é demasiado precioso.”

Marcas de luxo como a Gucci, Prada e Lanvin sempre ofereceram as suas próprias interpretações de sapatilhas. No início dos anos 2000, Isabel Marant tornou populares os modelos com cunha e Christian Louboutin os famosos “sapatos de enfiar” cheios de tachas, ambas propostas mais descontraídas mas também, para muita gente, com demasiadas coisas a acontecer.

Ao mesmo tempo, a Golden Goose dedicava-se a produzir sapatilhas de pele clean, num estilo minimalista e mais low profile. Passada uma década — e com o lançamento das famosas Superstar, em 2007 — é um símbolo inegável de um certo estatuto no mundo da moda. Os seus clientes querem que se saiba que gastaram centenas de euros num par de sapatilhas, mas o seu poder reside em disfarçar o luxo.

Alessandro Gallo e Francesca Rinaldo, os fundadores, descrevem estas sapatilhas como sendo “um produto emocional que é autêntico e nunca artificial”. Parece que já viveram uma boa vida, cheia de aventuras, e querem encorajá-lo a fazer o mesmo. Afastam-se das típicas regras e princípios do setor e querem misturar-se com as pessoas comuns, ao mesmo tempo que captam a atenção daqueles que as conhecem.

Leandra Medine, a criadora do site de moda “Man Repeller“, disse que as Golden Goose ajudaram na ascensão do “normcore” uma estética unissexo nas marcas exclusivas que se caracteriza por peças com um aspeto “normal” e comum, que rejeita a extravagância.

Todas as sapatilhas são feitas à mão, processadas manualmente e construídas pelos artesãos da marca. São eles que “estragam” cada modelo individualmente, com uma enorme atenção ao detalhe de forma a criar uma estética vintage e o “perfeito imperfeito” com a melhor qualidade.

Os modelos são produzidos em pele branca e têm todos a característica estrela na parte lateral, mas as versões são infinitas: há glitter de todas as cores, detalhes em animal print, tecidos metalizados, atacadores brilhantes, frases escritas à mão e mil e uma combinações de cores e “estragos” que podem levar.

Entre a lista de clientes, estão alguns dos homens e mulheres mais ricos e famosos do mundo. David Beckham, Taylor Swift, Selena Gomez, Olivia Wilde, Hillary Duff, Shawn Mendes, Megan Fox e Jude Law já foram apanhados várias vezes pelos paparazzi com o modelo Superstar e contribuíram para a criação do mito. A influencer portuguesa Anita Costa também já publicou várias sotografias com um modelo cheio de glitter na sua conta de Instagram.

A marca tem lojas por todo o mundo, desde a sede em Veneza, Itália, a Nova Iorque, nos EUA, Paris, França, Londres, no Reino Unido e Tóquio, no Japão, entre outras. Em Portugal, pode encontrá-los nos armazéns do El Corte Inglés, em Lisboa, mas também na Fashion Clinic, na Avenida da Liberdade. Mas a marca também vende online para o nosso País e há vários modelos disponíveis para venda na Farfetch.

View this post on Instagram

Sparkle your way to the NEW YEAR ✨🍾

A post shared by Anita da Costa 🌈 (@anitadacosta) on

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT