Lojas e marcas

Be We: a concept store tem nova morada em Cascais onde apresenta 70 marcas

No novo espaço de 400 metros quadrados, dão a conhecer projetos nacionais e internacionais que visam o impacto positivo.
Fica situada à frente da estação de comboios.

Focada num impacto sustentável positivo, a Be We surgiu em 2020 com um pequeno espaço em Cascais. É o local onde pode encontrar vestuário, acessórios, joalharia, perfumes e artigos de decoração de marcas portuguesas e estrangeiras, cuidadosamente  selecionados. No entanto, o espaço tornou-se insuficiente. Mudaram de morada em março de 2022 e apostaram num upgrade.

Não deixaram a vila onde tudo começou, mas estão num novo endereço com 400 metros quadrados. É uma loja toda em vidro, que reflete o design da marca, situada no edifício Náutico, mesmo em frente à estação de Comboios de Cascais.

Quando abrimos o primeiro espaço, na Avenida Balbom, estávamos a aproveitar uma oportunidade. Como foi no período depois da pandemia, ou abria logo ou esperava e demoraria imenso tempo para tirar o projeto do papel”, explica Veruska Olivieri.

O objetivo, na altura, passava pela redução de custos, mas a fundadora sempre soube que precisava de um lugar maior. E existiam problemas de acessibilidade na loja original que, por estar num local plano, isso complicava as visitas de pessoas em cadeiras de rodas ou com cadeiras de bebés: “Se somos uma empresa que fala sobre o coletivo, não ser inclusivo é um contrassenso”.

As marcas estão todas separadas.

No centro de Cascais, a paulista trouxe ainda mais marcas para se juntarem ao projeto. A oferta conta com cerca de 70 projetos, um aumento significativo face às 35 que preenchiam a morada original. Não marcam presença o ano inteiro, já que algumas se focam só em roupa de verão ou de inverno, mas todas partilham os mesmos valores.

Da portuguesa +351 à eslovena Mila Vert, passando pela espanhola Brava, o impacto positivo é o elemento comum. Embora não tenham o mesmo propósito, posicionando-se no mercado com objetivos distintos. Porém, têm uma relação muito próxima com uma visão eco-friendly da moda. “A sustentabilidade tem três pilares, o meio ambiente, a questão social e a questão económica. Não usamos a palavra sustentabilidade”, sublinha.

Veruska acrescenta ainda que a decisão em continuar em Cascais assentou em dois motivos, ligados ao lado emocional e económico. Por um lado, foi o local que a acolheu desde sempre, quando decidiu que queria morar na vila ao sair do Brasil. Por outro, “tem uma predisposição à partilha coletiva” que distingue a Be We, devido ao seu caráter cosmopolita e com uma grande variedade de pessoas com hábitos e pensamentos divergentes.

Uma nova visão

Desenhado por Tom Marcelino, que trabalha na curadoria da marca, o hub criativo destaca-se pela nova forma de expor os produtos. Trocaram o método fixo por objetos amovíveis, em que os carrinhos expositores permitem alterar rapidamente todo o layout da loja.

“Quando pensámos em mudar, uma conversa muito recorrente era que queríamos uma loja que pudesse ser alterada em poucas horas. Todos os nossos charriots foram criados com rodinhas e são convertíveis em prateleiras. Inclusive, depois da inauguração, já mudámos duas vezes”, diz.

Além disso, um dos objetivos sempre passou pela comunicação das marcas. Se na casa anterior, as pessoas podiam ir diretas à marca que queriam, separada das demais, atualmente preocupam-se em dar ainda mais palco a etiquetas novas. Estão todas misturadas, permitindo o entrosamento de novos projetos com formas diferentes de encarar a moda.

“Nunca vamos deixar Cascais. É a nossa base e foi aqui que tudo começou”, termina. “Temos uma ideia de para onde queremos ir daqui a uns anos, mas é aqui que faz sentido estar”.

Além de visitar a loja no número 40B da Rua Dra. Iracy Doyle, em Cascais, também pode explorar o site da marca. Carregue na galeria para conhecer alguns artigos das marcas que fazem parte da seleção e os repectivos preços.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT