Lojas e marcas

Beijmat Studio: o novo atelier inspirado em Marrocos mistura tradição e modernidade

Abriu na rua de São Bento, em Lisboa, e foca-se no design de interiores. Junta artesanato tradicional e móveis contemporâneos.
Abriu em fevereiro de 2023.

Apesar da proximidade geográfica, Marrocos é um país que fascina muitos portugueses. Das peças únicas criadas pelos artesãos marroquinos, muitas vezes expostas nas ruas, à riqueza arquitetónica das cidades, o design tradicional complementa na perfeição linhas mais contemporâneas. “Quero trazer essa cultura e esse contraste para cá”, conta à NiT Myriam Bennouna, 34 anos.

O Beijmat Studio, um showroom e atelier de design de interiores, está instalado no número 398 da rua São Bento, em Lisboa. Esta é a porta que, desde fevereiro 2023, todos os fãs de decoração podem memorizar para encontrar uma seleção de artesanato tradicional marroquino, móveis modernos de várias origens e ainda obras de arte.

“[Quero] misturar peças muito contemporâneas com peças de artesanato tradicionais. Encontrei coisas muito originais para quem não conhece o país”, acrescenta. “Mas não queria ter uma grande carga de informação, nem ter muita coisa. Cada peça foi escolhida para ser o foco.”

Ali poderá encontrar três marcas internacionais, que não tinham representantes em Portugal. A dinamarquesa NORR11, italiana Secolo, e a japonesa Karimoku assinam, entre outros objetos, cadeiras, sofás e mesas de apoio. A fundadora descobriu os projetos — em feiras internacionais de mobiliário, em Milão, onde marca presença todos os anos.

As criações do trio de insígnias estão expostas ao lado de objetos feitos à mão no norte de África, com destaque para os azulejos Zillege, os candeeiros, as cerâmicas e as tapeçarias: “Os tapetes são pendurados nas paredes para mostrar que podem ser obras de arte. É a melhor qualidade”, diz.

Como tudo começou

Nacida em Marraquexe, Marrocos, Myriam Bennouna formou-se em Arquitetura, em Paris, e ainda passou uma temporada a conhecer a arte brasileira. Em 2017 fundou o próprio atelier no país onde nasceu. No Myriam Bennouna Architect desenvolvia projetos de design de maior dimensão.

“Os meus pais são arquitetos, então fiz bastantes parcerias. Foi através destes trabalhos que consegui os primeiros clientes. Mas sempre tive mais interesse em trabalhar os detalhes e os materiais”, explica. Encontrou oportunidade para o fazer quando chegou a Portugal, há três anos.

Uma amiga brasileira, que vivia em Lisboa, aconselhou-a a visitar a cidade há três anos. Veio cá passar férias, mas foi obrigada a ficar mais tempo devido à pandemia — continuou a trabalhar com um sócio à distância, com o objetivo de regressar.

À medida que conhecia novas pessoas, começou a fazer projetos na capital. “Eram trabalhos de remodelações, em pequenos espaços comerciais. Juntei-me a uma empresa que fazia a logística entre Portugal e Marrocos”, disse. Quando as fronteiras abriram, passou a viajar com frequência, mas já passava mais tempo em Portugal.

A fundadora do atelier.

Um dia, enquanto passava de carro na rua de São Bento, viu uma propriedade para alugar. Era suposto ser um escritório, mas aproveitou a oportunidade para ali criar o atelier onde desenvolve colaborações, dá a conhecer a tradição marroquina —“que não existia na cidade” — e mistura duas estéticas antagónicas.

O nome do showroom harmonioso é inspirado num azulejo espesso e resistente, que se usa para revestir os espaços exteriores no país onde nasceu. “É o produto de artesanato marroquino mais exportado no mundo”, diz. E remete ainda para o bege, a cor que predomina no espaço, com apontamentos de azul ou verde.

Em Lisboa, encontrou ainda o interesse pela tradição do trabalho manual, que se está a perder em Marraquexe. De acordo com a arquiteta, “quem vai dar continuidade ao legado tradicional da cidade são os estrangeiros, que continuam a valorizar mais a cultura e as tradições.”

“A parte mais orgânica é que vou a Marrocos uma vez por mês. A ideia é toda a gente que gosta de uma peça me comunicar e, quando vou lá, encontro muitas coisas. Mando muitas mensagens, fotos e vídeos aos clientes e arquitetos.”

No Beijmat Studio também é possível ver criações da própria Myriam: peças com dimensões ampliadas, muitas vezes inspiradas pelo brutalismo. A arquiteta fala em “statement pieces”, em pedra ou mármore. No futuro, o objetivo é explorar a vertente de galeria de arte para as pessoas visitarem e apreciarem.

Por enquanto, todas as compras são feitas por encomenda.  Se quiser visitar o estúdio, está aberto entre as 10h30 e as 18 horas de segunda a sexta-feira. Além do espaço físico, pode conhecer o site do Beijmat Studio.

Carregue na galeria para ver imagens do deslumbrante showroom que Myriam Bennouna abriu em São Bento. As imagens foram tiradas por Francisco Nogueira.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua de São Bento 400
    1200-801 Lisboa
  • HORÁRIO
  • Segunda a sexta-feira das 10h30 às 18h

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT