Lojas e marcas

Daniela Ramos: a marca de joias únicas para mulheres autênticas

Após ter conquistado Portugal, a insígnia marca agora presença no Dubai com o objetivo de arrancar com a internacionalização.
A exclusividade é um dos motes da marca.

As joias que uma mulher usa têm o poder de refletir não só a sua individualidade, mas também de a aproximar daquilo que ela quer ser. Se forem exclusivas, tornam-se objetos que se podem tornar extensões da pessoa que os usa graciosamente. Com estes valores em mente, Daniela Ramos desenvolveu a sua própria marca de joalharia com ideias bem vincadas.

A criadora tem 32 anos, vive nas Caldas da Rainha e é formada em Design de Produto. “Sempre procurei formação complementar na área da arte, da criatividade e do design”, conta a designer, que explorou o desenvolvimento de produtos gourmet. No entanto, a joalharia acabou por espoletar o seu interesse e revelou ser a forma como Daniela comunica o seu gosto pela diferença.

Foi a arte da transformação, através do fogo, que uniu a fundadora da marca ao universo das joias. O fascínio reside na possibilidade de, através do manuseamento e das técnicas tradicionais, usar uma chapa com um aspeto escuro e oxidado para criar uma joia com imenso valor e que nasce através de muito trabalho e muito amor.

Começou por abrir uma loja, em 2018, onde vendia algumas peças massificadas. “Percebi que não era o que eu queria porque me roubava tempo para a criatividade, para explorar os materiais e colocar a mão na massa”, continua. “No primeiro confinamento decidi que ia mudar isso. Fiquei só com as minhas peças, produzidas em número muito limitado, e deixei de ter loja. Tenho o meu atelier”.

O mundo à vista

Com os pilares que suportam a marca já bem assentes, chegou a altura de ir mais além e procurar a internacionalização. No mês de março, através da representante do negócio, Carla Martins, a insígnia viajou até ao Dubai para se apresentar ao mercado do país e realizar a prospeção necessária. “Ela esteve presente na Expo, estiveram lá as nossas peças e foram feitos contactos no Dubai, em Portugal, em Angola e no Brasil”, diz, acrescentando que o feedback foi muito positivo.

O objetivo é que a imagem da marca continue a mudar a forma como as mulheres olham para as joias como sendo um produto único. No atelier, Daniela trabalha de acordo com uma tríade que não está presente em fábricas: criatividade, savoir-faire e proximidade.

Os dois primeiros modos de fazer complementam-se. Por um lado, as pessoas que procuram o trabalho de Daniela Ramos dizem que não encontram nas montras aquilo que idealizam e a missão passa por alcançar uma peça singular, com valor sentimental e comercial. Ao mesmo tempo, a inspiração em formas e texturas, requere conhecimento sobre o processo técnico e sobre a arte de saber fazer uma peça de qualidade com base no trabalho manual.

Quanto à proximidade, é um dos fatores mais importantes devido à procura pela exclusividade. “Quando faço uma peça para alguém, tenho que conhecer aquela pessoa”, explica a designer. Um desses serviços dedica-se a entregar joias a clientes num contexto surpresa que, devido a todas as diferenças, exige que o perfil da mulher surpreendida seja estudado. Ou seja, o negócio ambiciona criar experiências e momentos através de artigos de luxo.

A primeira mulher a beneficiar desta iniciativa foi Susana Torres, coach de alta performance, numa surpresa que aconteceu num evento privado da própria. “É uma mulher empoderada e consciente dos seus objetivos. Visualiza todos os passos até ao objetivo megalómano. Para surpreender a Susana teria que ser com algo ao nível dela”, sublinha. O desfile foi um verdadeira narrativa, com os modelos a transportarem objetos de desenho, numa primeira fase, e ferramentas de joalharia de seguida. “No momento da vénia, apareci e entreguei os brincos à Susana. É uma experiência e um momento que nunca mais se esquece e que são relembrados através dessa joia”.

A inspiração para o trabalho artístico é sempre a mulher autêntica que, por outras palavras, pode ser qualquer mulher. “Todas as mulheres são autênticas. A autenticidade são os valores que cada uma tem, as suas crenças, os seus sonhos, as suas dores e as suas paixões”, refere. “Muitas vezes, a mulher sabe exatamente qual é a sua autenticidade. Outras vezes, o nosso trabalho passa por resgatar essa autenticidade”.

Com a importância dada à singularidade feminina, Daniela Ramos apoia-se na produção artesanal para conferir exclusividade às peças, que são sempre únicas. Uma proposta nunca é igual a outra, nem seria possível. “O ser feito à mão significa saber fazer com tradição e muita qualidade. E com muito amor também, porque uma fábrica não entrega amor”, acrescenta a criativa. Ao mesmo tempo, possibilita pensar em fatores mais ergonómicos, como o trabalho em tornos de danos que as mulheres possam ter nos furos das orelhas, por exemplo.

Os intervalos de valores, nas peças da coleção de produção limitada, estão entre os 327€ e os 1.177€. No entanto, o serviço exclusivo torna impossível definir um valor concreto porque depende do peso, dos metais e das pedras.

Carregue na galeria para conhecer algumas das opções que estão disponíveis no site.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT