Lojas e marcas

Dar e Reutilizar: o site português para oferecer coisas anonimamente a quem precisa

A ideia de Kristine Vuhta era ajudar os portugueses a entrarem no "mindset mais nórdico" da reutilização.
Chegou ao mercado no final do verão.

Se tem lá por casa um armário ou uma chaleira que já não lhe fazem falta mas que é incapaz de deitar ao lixo, pode despedir-se de vez desse dilema. No início de setembro, a plataforma Dar e Reutilizar chegou ao mercado com um objetivo muito nobre: ajudar os portugueses a oferecerem anonimamente os objetos que já não usam a quem mais precisa deles.

A ideia de Kristine Vuhta, de 40 anos, surgiu durante o confinamento. “Arrumei a casa e deparei-me com vários sacos à minha volta cheios de coisas que já não utilizo”, começa por explicar, acrescentando que sempre gostou de dar as coisas de que não precisa a alguém que possa aproveitá-las. “Na altura estávamos todos fechados em casa e tentei entregar estas coisas nos meios digitais. Reparei que não havia nada com o conceito que procurava e foi daí que nasceu a ideia da plataforma”, recorda em entrevista à NiT.

Na Dar e Reutilizar, criam-se anúncios com objetos que já não tenham uso para receberem uma segunda vida, assente num forte conceito solidário e ambiental, defensor de uma redução do consumismo e onde se apela aos consumidores para deixarem por lá aquilo que já não usam, mas levarem também aquilo de que precisam.

“A grande vantagem é que quem dá consegue encontrar dentro da plataforma a pessoa certa, que realmente está a necessitar do objeto e lhe vai dar uso, sem nenhuma das partes necessitar de se identificar. Tudo é tratado através do chat interno e privado. As pessoas combinam a forma que lhes for mais conveniente ou confortável para a entrega do artigo. Não menos importante é o facto de quem doa poder decidir a quem vai entregar”, revela a mentora do projeto.

Esta plataforma segue aquilo que descreve como um mindset “mais nórdico”, em que a reutilização já é um hábito adquirido no dia a dia das pessoas. A ideia da Dar e Reutilizar passa também por uma vontade de mudar mentalidades e promover a solidariedade. “As pessoas estão hoje mais sensibilizadas para a importância de deixarmos de ser tão consumistas e pensarmos mais no nosso ambiente, na reutilização e sustentabilidade e, consequentemente, numa vida mais saudável.”

Kristine Vuhta nasceu na Letónia e estudou Economia e Financial Management na Universidade de Business and Finance de Riga. A ela, juntaram-se ainda os portugueses Laura Martins, de 38 anos, e António Fontão, de 40, que têm vindo a desenvolver a plataforma de raiz ao longo dos últimos seis meses.

Quem quiser juntar-se a este movimento só precisa de criar uma conta no site, tirar uma fotografia ao objeto que quer oferecer, colocar uma breve descrição e esperar que um interessado entre em contacto. Já este tem de criar uma conta bimestral de 1,99€ para poder ter acesso aos contactos com os proprietários, que se mantêm sempre anónimos — é tudo gerido através do site da plataforma, onde podem combinar se a entrega será em mãos ou por correio.

“Fomos recebendo feedback de alguns utilizadores e começámos a sentir que se está a criar uma verdadeira comunidade de entreajuda para as mais variadas necessidades”, indica Kristine. Entre as histórias que já coleciona, há tecidos oferecidos a um casal e que vão servir de decoração no casamento, mas também muitos utilizadores que estão a mobilar a casa com a ajuda da Dar e Reutilizar.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por DAR E REUTILIZAR.pt (@darereutilizar.pt) a

“Estamos muito satisfeitos porque temos artigos na plataforma que foram dados por algumas empresas, como uma fábrica de confeção — tecidos, roupas novas — ou um grupo hoteleiro que ofereceu móveis, peças de decoração e várias louças sanitárias e portas oferecidas por uma empresa de construção civil. Há inúmeras empresas que guardam nos seus armazéns o que há muitos anos já não usam ou vendem. Excedentes de produção, coleções anteriores ou peças com pequenos defeitos que o mercado não escoa, basta aproveitarem o que a plataforma oferece e dar uma segunda vida a estes artigos”, acrescenta.

Na Dar e Reutilizar, as opções são infinitas. Há 11 categorias de produtos  — Bebé e Criança, Moda, Desporto, Lazer, Leitura, Aulas, Animais, Móveis, Casa e Jardim, Tecnologia e Outros (onde se inserem, por exemplo, capas de telemóvel, molduras e malas de viagem) — e centenas de artigos em ótimo estado que pode reutilizar em sua casa.

Para Kristine, este mindset tão natural nos países nórdicos começa, aos poucos, a ganhar o seu espaço no nosso País. “Estamos muito satisfeitos porque a cada dia entram mais e mais utilizadores na plataforma, que aproveitam para deixar as coisas que já não usam de uma forma muito confortável. E do mesmo modo há pessoas que aproveitam para levar o que realmente precisam. O mundo está a mudar e acreditamos que estes tempos são muito bons para relembrarmos que é necessário cuidarmos mais uns dos outros e do nosso meio ambiente”, conclui.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por DAR E REUTILIZAR.pt (@darereutilizar.pt) a

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT