Lojas e marcas

Dear Cate: a nova marca nacional quase minimalista “com mangas excessivas”

A influencer Catarina Almeida criou uma coleção-cápsula para todas as ocasiões. É uma etiqueta de verão onde o linho é rei.
O branco é a cor mais usada.

Após visitarem mais de 25 países em oito meses, Catarina Almeida e Filipe Zaben fizeram uma pausa para dar as boas-vindas ao segundo filho, Manel. O casal descreve-se como “uma família que viaja com insuficiência renal” e, desde 2019, utiliza o Instagram — onde contabiliza mais de 160 mil seguidores — para partilhar as suas aventuras pelo mundo com três miúdos.

A jovem de 35 anos trabalhava num serviço de apoio ao cliente há uma década quando se despediu e vendeu tudo o que tinha. O objetivo? Viajar pelo mundo com o filho mais velho, com dois anos na altura, e o marido, que fazia hemodiálise. “Queríamos demonstrar que era possível até com uma doença crónica”, conta à NiT.

A moda nunca foi o foco do projeto All Aboard Family. Porém, em todas as publicações, Catarina recebia mensagens de pessoas interessadas no que vestia. Algumas queriam saber de onde eram as peças, outras faziam perguntas sobre o que inspirava o seu estilo.

“Prefiro vestir coisas simples, de usar peças que duram uma vida. Nunca fui de acompanhar modas ou de entrar nas lojas e comprar tudo”, explica. “Muitas vezes, nem sequer encontrava nada que gostasse. Havia sempre padrões ou cortes com os quais não me identificava.”

A ideia já estava guardada na gaveta há cerca de 20 anos, mas agora viu a luz do dia. Catarina cumpriu o sonho de lançar uma marca de roupa, a Dear Cate, no dia 30 de maio. A As primeiras peças compõem uma coleção cápsula. Os modelos podem ser conjugados entre si ou com outros artigos que tenha no armário.

Ao longo dos anos, enquanto pensava nos contornos do futuro negócio, a criativa ponderou criar uma marca de biquínis, outra de peças infantis e até de propostas para adulto. No entanto, o tempo ia passando e os projetos que lhe pareciam muito trabalhosos, confessa, ficavam em stand-by.

No ano passado, recebeu um convite da Maria Modista para criarem algo em conjunto. Quando teve uma reunião com a fundadora, Filipa Bibe, motivou-a a avançar sozinha. “Já tens o nome, o conceito e sabes o que queres”, disse-lhe. O conselho foi o empurrão que precisava para passar do papel para as máquinas de costura.

O catálogo da Dear Cate é um reflexo do estilo da fundadora. Destacam-se os desenhos leves e minimalistas, feito em linho e com uma paleta de tons neutra. “[O projeto] é muito verão, porque me identifico mais com a estação. São peças que consigo usar nas minhas viagens”, explica.

Dão para o dia a dia ou para a noite.

“Se tivermos uma peça muito marcante, parece que estamos sempre a usá-la. As peças lisas podem ser conjugadas para parecer sempre diferente”, sublinha. “Só preciso de umas calças brancas para combinar com vários tops, o que torna os voos mais leves. Preciso de menos peças, mas consigo criar o mesmo número de outfits.”

Outro detalhe que faz parte do ADN da etiqueta são as mangas excessivas, em balão, que compensam a simplicidade. Mesmo que um vestido não tenha este corte abalonado, há detalhes elásticos no punho para dar o efeito de pufe, que traz algum romantismo às coleções.

Uma das missões de Catarina é ter modelos que podem ser adaptados a números maiores. As calças, por exemplo, têm um elástico atrás o que permite adaptá-las à cintura de cada mulher. Como é uma produção pequena e feita em quantidades reduzidas — cerca de 20 unidades —, é a forma de dar resposta às necessidades de todos os tamanhos.

As peças são desenhadas por Catarina e feitas à mão por uma costureira, em Lisboa. Todos os tecidos são feitos de forma sustentável em Portugal. “Quero que a roupa seja sustentável e que continue a ser algo em pequena escala. Não quero ir para as grandes fábricas.”

Este modelo de negócio permite-a continuar próxima dos clientes. O embalamento é feito por Catarina e todas as peças incluem um detalhe seu, seja uma etiqueta ou um botão cosido. No final, inclui ainda um cartão escolhido por si que é sempre assinado à mão pela criadora de conteúdos.

Os próximos objetivos passam por alargar a oferta a mais silhuetas e aumentar a equipa. No entanto, a empreendedora não pensa ficar por aí. “Quero que a Dear Cate seja um bocadinho aquilo que criámos para o All Aboard — uma grande comunidade, mas com pessoas que nos são próximas”, conclui.

As peças estão disponíveis no site da marca entre os 69€ e os 140€.

Carregue na galeria para conhecer a primeira coleção da Dear Cate.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT