Lojas e marcas

A Deco diz-lhe quais são as melhores (e piores) lojas para fazer compras online

Um inquérito publicado pela Associação de Defesa do Consumidor mostrou que os problemas mais frequentes são os atrasos na chegada das compras.
As lojas de origem chinesa registaram mais problemas.

Um inquérito realizado pela Deco Proteste e publicado no site na passada terça-feira, 24 de novembro, revelou quais são, afinal, as melhores lojas para comprar online em Portugal e os momentos do ano em que os consumidores portugueses mais optam por esta forma de comércio.

Segundo a entidade de proteção do consumidor, o Dia dos Solteiros, o Natal e os saldos de verão são as épocas mais populares para as vendas online no nosso País. O objetivo do inquérito — que reuniu 5516 respostas válidas — era de avaliar a satisfação dos clientes e saber quais os problemas mais frequentes neste tipo de compras.

O questionário incidiu sobre as compras realizadas pelos inquiridos nas últimas cinco lojas online durante os últimos três anos e foi realizado entre novembro e dezembro do ano passado. É certo que, no ano atípico de 2020, as compras online ganharam uma maior expressão nos hábitos dos consumidores, o que terá influência sobre a forma como os comportamentos se alteraram face ao ano passado. Ainda assim, as conclusões podem ser úteis para perceber quais as melhores plataformas para comprar.

Segundo a Deco, a chegada dos produtos no tempo previsto é o aspeto que mais influencia a satisfação global com a experiência de compra em e-commerce. Outros fatores de peso são a facilidade de utilização do site e a informação disponibilizada. O estudo excluiu compras de bilhetes de avião e de e-books.

A avaliação foi feita numa escala de uma a cinco estrelas, sendo que uma satisfação maior corresponde ao maior número de estrelas. Com a classificação máxima, foram selecionadas 65 marcas, entre elas a Zara, Apple, Yves Rocher, Amazon, Mango, Lentes de Contacto 365, Oriflame, H&M, Fnac, El Corte Inglés, Showroom Privé, Springfield, Spartoo, Massimo Dutti, Fapex, Salsa e Zippy.

Seguiram-se 30 lojas online classificadas com quatro estrelas. Aqui, destacam-se, por exemplo, a Worten, OLX, Conforama, Aliexpress, Gearbest, Clube Fashion, Staples, Wish, Lifecooler, Media Markt, MEO, NOS e Toys’R’Us.

Por fim, foram avaliadas duas empresas com três estrelas — Light in the Box e Pixmania — e uma com apenas duas estrelas, a Amazonite.

A Deco concluiu ainda que a grande maioria dos consumidores (87 por cento) revelou não ter tido problemas com as compras online. A falha mais reportada foi a chegada dos produtos depois do prazo previsto. Dos quatro por cento que se queixaram deste problema, 67 por cento registaram um atraso de mais de duas semanas.

Adicionalmente, 82 por cento dos inquiridos faz compras fora dos períodos de promoções. No entanto, quando optam por estas épocas promocionais, o Dia dos Solteiros, a 11 de novembro, o Natal e os saldos de verão são as épocas favoritas. Curiosamente, a Black Friday está no fim da lista, com apenas dois por cento dos inquiridos a escolher esta campanha promocional para as suas compras.

Outra das conclusões do estudo mostrou que as compras em lojas online de origem chinesa também registaram mais problemas do que as restantes. 24 por cento dos clientes destas lojas tiveram situações negativas, face a 11 por cento das lojas de outras ourigens. Aqui, as principais queixas são os atrasos na chegada dos produtos ou produtos que nunca chegaram. Para saber mais, consulte o estudo completo, disponível no site da Deco Proteste.

Entretanto, a Black Friday está a decorrer em muitas marcas até ao final de novembro. Na Mango Outlet, há promoções de 70 por cento em toda a loja até ao próximo domingo, 29. A seguir, carregue na galeria para conhecer 10 vestidos arrasadores que pode comprar por lá por menos de 10€.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT