Lojas e marcas

Elex: a marca portuguesa com peças cool e intemporais que duram uma vida

Inspirado na qualidade da produção nacional, Tomás Toulson lançou uma etiqueta comT-shirts, hoodies, sweats, calças e casacos.
Todas as peças são feitas em Portugal.

Simples, intemporal e de qualidade. Se uma T-shirt reunir estas três características pode acompanhá-lo ao longo de várias fases da vida. Esta capacidade de desafiar os limites do tempo, que nem todas as nossas peças de roupa possuem, também pode também estar presente num par de calças ou num casaco. Basta serem feitos com tempo e cuidado, tal como acontece nas propostas da coleção cápsula que a Elex, uma nova marca nacional, acaba de lançar.

Tomás Toulson, de 33 anos, começou a testar o conceito inicial do projeto em maio, junto de amigos e mais algumas pessoas que o acompanham. Finda a fase experimental, o empreendedor começou agora a divulgar as criações da etiqueta que quer vestir os portugueses durante várias décadas.

“A Elex foi testada junto do público masculino, mas a ideia inicial era criar uma marca unissexo. O objetivo é ter uma etiqueta transversal, dirigida ao público como um todo”, conta à NiT. Começou a explorar a produção têxtil em 2017, quando deixou a área da gestão de eventos. Antes já havia lançado uma marca de fatos de banho masculinos a Molkot, e outra de sapatos, a Olkin, ambas produzidas em Portugal graças à indústria nacional que tanto admira.

O seu novo negócio é pensado para ser mais do que uma marca de roupa. As pessoas, as roupas e a cultura são os três alicerces que alimentam o desejo de aportar valor que não se resuma à venda de produtos. “Desenhamos um triângulo entre as pessoas, porque entramos numa onda de comunidade. A ideia é dar a conhecer, mas descobrir [os clientes] também”.

Os modelos podem ser usados por homens ou mulheres.

O fundador convoca todas as suas vivências e interesses durante o processo de desenvolvimento dos artigos. Do design ao cinema, da arquitetura ao desporto, também os interesses de quem se cruza com a Elex vão sendo somados para chegar a modelos distintos, que primam pela simplicidade.

“Não trabalhamos com stocks antigos de fábricas. Tudo é feito de raiz, desde o esboço no papel até ao produto final”, explica Tomás. Para não serem apenas peças flat, todas as cores passam por um tratamento de fade out: “As nossas peças, dentro do minimalismo, são modernas sem serem arrojadas. Não quisemos inventar a roda”, realça.

Na primeira coleção, todos os modelos tiveram duas cores como base.  Além do preto, apresentaram-se no mundo digital através do tom Quarry, assim designado pela Pantone, uma cor entre o azul e o cinza. A partir deste ponto de partida, apostaram na qualidade na 100 por cento portuguesa, para obterem um acabamento mais suave dá um conforto único a cada peça.

Os clientes repetentes que a etiqueta conquistou são a prova da fórmula de sucesso. Neste momento, privilegiam o e-commerce, mas também estão presentes na loja física Be We, em Cascais. “Se algum dia abrirmos o nosso espaço próprio, será para fazer algo muito diferente”, avança Tomás Toulson.

Pode conhecer as peças no site da marca, cujos preços variam entre os 50 euros, no caso das T-shirts, e os 90 euros, se comprar um hoodie ou um par de calças. Também pode descobrir os modelos na página de Instagram da etiqueta. Carregue na galeria para ver ao pormenor algumas das propostas intemporais da Elex.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT