Lojas e marcas

A marca portuguesa que conquistou Diana Chaves, Mariana Monteiro e Cristina Ferreira

A criadora Gabriela Baptista queria focar-se no icónico blazer, mas a chegada da pandemia forçou-a a reinventar-se.
A linha de joalharia é a mais recente novidade.

Depois de terminar os estudos, Gabriela Baptista, agora com 27 anos, começou uma carreira profissional como stylist. No entanto, cedo percebeu que, por mais que gostasse do que fazia, faltava ali qualquer coisa.

“Sentia necessidade de expressar as minhas emoções para o papel e materializá-las, de colocar um pouco de mim no meu produto”, começa por contar à NiT.

Depois de muito ponderar, em 2019 decidiu que estava na altura de fazer o que sempre quis, de por os medos de parte e de lançar uma marca em nome próprio que se dedicava a uma única peça: o blazer clássico. Na altura, o objetivo era desenvolver todo o projeto à volta do casaco icónico, confecionado no norte do País. E a realidade é que a Gabriela Baptista conquistou assim o público, mantendo a mesma visão ao longo de quase um ano.

Quando a pandemia de Covid-19 virou a indústria da moda do avesso, a empresária percebeu que tinha chegado novamente o momento de se reinventar para se poder adaptar à nova realidade. Em junho de 2020, introduziu na loja online os chapéus, um acessório com personalidade que encaixava com a oferta, feito à mão por artesãos portugueses.

Em 2021, lançou-se num novo desafio. Foi no primeiro dia de agosto que resolveu apresentar uma linha de joalharia para as mulheres mais requintadas, que gostam de peças delicadas que possam brilhar mesmo quando usam as máscaras sociais para todo o lado.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por GABRIELA BAPTISTA (@gabrielabaptista_official)

A linha de joias Gabriela Baptista pretende ser um complemento aos blazers e chapéus da marca.

“A joalharia traz consigo, uma vez mais, o savoir-faire dos nossos artesãos. Todos os produtos são produzidos manualmente em Portugal. Preservamos as relações com os nossos parceiros e fornecedores e acredito que, com o amor depositado por ambas as partes, podemos fazer a diferença no dia-a-dia das mulheres”, acrescenta a fundadora.

Esta primeira coleção de joalharia é composta por duas linhas: em prata 925 com zircónicas; e em prata 925 com ouro de nove quilates. As quantidades são limitadas de forma a evitar o desperdício e para manter a exclusividade. Também é possível fazer peças por encomenda de acordo com os pedidos dos clientes. Na loja online, já vai encontrar anéis, colares, escravas e brincos, com preços que começam nos 130€.

Gabriela Baptista é natural de Coimbra, mas mudou-se para Lisboa quando tinha 18 anos, para estudar Design de Moda na Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa. Ainda começou um doutoramento em Design na mesma faculdade, mas resolveu suspendê-lo para se poder dedicar “a 500 por cento” à sua marca. 

“Todo o meu foco terá que ser direcionado apenas para o meu negócio. O doutoramento é um projeto que não está esquecido, mas sim adiado”, acrescenta. Pelo caminho, conquistou atrizes e celebridades como Mariana Monteiro, Diana Chaves, Cristina Ferreira, Joana Freitas ou Cláudia Borges. O melhor é mesmo ver o Instagram do projeto para saber mais pormenores sobre esta história.

A seguir, carregue na galeria para conhecer a primeira linha de joalharia da Gabriela Baptista.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT